O tempo: Senhor maior de todas as curas Ensinam os bons mestres que devemos assistir nossa actuação no mundo como se estivéssemos observando uma peça de teatro. No palco o desenrolar dos nossos papéis onde actuamos como protagonistas das nossas acções e comportamentos. Na plateia nós estamos também, porém sentados assistindo o drama ou a comédia em que actuamos como personagens.

Facilita muito também se a gente for capaz de dialogar mentalmente com o nosso personagem em cena chamando-o pelo nosso nome de baptismo e docemente comentar a cena para que ele perceba como está actuando.

Por exemplo:

Você está na sala com seu companheiro e a conversa toma um rumo desagradável onde a sua você que controla, cobra e acusa, começando a pôr as manguinhas de fora. Neste momento inicia-se um clima de briga e é nesta hora que a você que está assistindo à cena deve pontuar este movimento dizendo mentalmente:

- Olha, a Fulana (diga seu nome de baptismo) iniciando novamente seu rosário de queixas e cobranças, sem deixar que o outro se defenda ou coloque suas razões.

Com isso a mente leva um susto e pode provocar um profundo movimento de respiração libertando desta forma os elos do padrão repetitivo.

Parece fácil quando a gente lê. Mas é bem mais complicado quando decidimos praticar este mecanismo que tanto ajuda no controle dos nossos padrões emocionais.

Quando damos conta já falamos e colocamos tudo meio sem pensar, magoamos o outro e só depois é que vamos ponderar os resultados. Mas se praticarmos esta técnica em todos os momentos do nosso dia-a-dia vamos perceber que o tempo vai nos disciplinando, transformando o que parece tão difícil num hábito.

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Outra forma de controlarmos o nível das nossas reacções emocionais é tomarmos conhecimento que somos feitos de diferentes partes que são muitas vezes totalmente opostas.

Revelamos muitas vezes a nossa parte angelical nos conselhos que damos aos amigos, mas imediatamente podemos expor nosso lado vingativo desejando que esta ou aquela pessoa suma da nossa vida.

Costumo pedir aos meus pacientes que incentivem estas partes a conversarem entre si ou se perguntarem durante uma reacção emocional:

- Qual parte minha está falando assim ou sentindo desta forma?

Identificando a parte fica mais fácil ajudá-la a vencer o problema e resolver a situação.

Mas seja como for uma coisa é certa: o tempo com sua gigantesca sabedoria poderá nos dar cada dia mais lucidez e entendimento.

E fica aqui para você uma outra forma de escaparmos das borboletas no estômago todas as vezes que nos defrontamos com situações angustiantes. Faça a si mesmo(a) esta pergunta:

- O que este facto vai significar na minha vida daqui a quinze dias, um mês ou um ano?

Izabel Telles
Texto Publicado com autorização do site: www.somostodosum.com.br

VEJA AS ENTREVISTAS DA AUTORA NO SAPO ZEN: Convidada Izabel Telles

  Izabel Telles é terapeuta holística formada pelo The American Institute for Mental Imagery (USA). Autora de quatro livros sendo “Feche os Olhos e Veja” um Best Seller no Brasil.
Izabel Telles faz da sua intuição e sensibilidade um portal para acessar as imagens que a mente grava como fotografias dos sentimentos. Qualificando-se como uma pesquisadora da mente humana e com mais de cinco mil atendimentos individuais no Brasil , Estados Unidos da América e Portugal sente-se apta a penetrar seu imaginário, e suas ilimitadas possibilidades, ajudando-o/a a ampliar a sua consciência sobre si mesmo e sua história pessoal .

Contactos: Site:www.somostodosum.com.br/izabeltelles
email: izabeltelles@terra.com.br
Marcações e informações com Aurora Rich

TM 96 3038992

Coordenação de Conteúdos:
Heloisa Miranda
email: sapozen@sapo.pt
Veja o programa SAPO Zen: zen.sapo.pt

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.