A felicidade é a busca maior no coração dos homens. É o fermento que faz crescer o pão da Vida, é o anseio silencioso da alma pela plenitude, é o sentido mais profundo que todos – cada um à sua maneira – desejamos dar à nossa existência. Ela pressupõe uma viagem – que não é a direito – mas mais parecido com uma espiral. Nessa espiral, somos levados a viver experiências que confrontam o nosso mundo interior com o mundo “lá fora”. Esse confronto é uma Alquimia. Se formos capazes de fazer as várias alquimias – transformações no processo de evolução da consciência – a vida vai-nos brindando com a sabedoria. A sabedoria de saber estar, tanto na parte baixa, como no ponto mais elevado da espiral. E só quem sabe ascender pelas espirais da Vida, com o mesmo nível de presença em cada dia, comunhão com o universo e sábia aceitação do ciclo que está a viver, poderá receber a felicidade maior. Transcendemos ilusões e limitações, descobrimos o nosso verdadeiro poder interior e começamos a manifestar a excelência que é darmos à vida o melhor que podemos Ser.

A felicidade torna-se, assim, uma co-criação pessoal, uma escolha e uma forma de ver a vida onde nos sentimos merecedores de abundância e onde já honramos o potencial com que nascemos. Aceitando ser trabalhados pelas mãos sábias da Vida, tornamo-nos alquimistas do nosso próprio destino, na manifestação crescente da Luz Maior em nós.

A antiquíssima e extraordinária ciência da Alquimia fornece-nos chaves preciosas para a transformação do nosso “chumbo” em “ouro“ no Caminho da felicidade.

Veja na próxima página a continuação do artigo..

A História da Alquimia tem milhares de anos e foi praticada por faraós, reis e papas. A Opus alquímica era um trabalho individual – não podia ser realizado por um grupo e tinha um carácter secreto. Os alquimistas eram guardiães de um mistério cuja divulgação estava vedada a quem não estivesse preparado.

A alquimia é a arte da transmutação dos metais para a obtenção do ouro (alquimia externa). Esta transmutação opera-se a vários níveis: a transmutação que ocorre, é a da consciência (alquimia interior, espiritual) e o ouro representa a imortalidade.

Da alquimia interior, decorre a externa, ou seja, o mundo exterior espelha toda a nossa transformação interior. A alquimia simboliza a evolução do ser humano – a integração do espírito na matéria: quando realizamos a nossa alquimia interior, reintegramos a nossa identidade divina.

Há uma célebre fórmula iniciática que sintetiza a doutrina alquímica: V.I.T.R.I.O.L. que significa: "Visita Interiorem Terrae Rectificando Invenies Occultum Lapidem". Do ponto de vista psicológico, podemos traduzi-la por: “explore o interior de si mesmo e rectificando” (transformando, consciencializando) “descubra o seu tesouro oculto (um entendimento da nossa verdadeira condição)”. Psicologicamente, significa a busca humana pela expansão da consciência. A prática da alquimia permite que o homem descubra dentro de si mesmo, no seu coração, a sabedoria, a luz divina (o ouro), a plenitude.

A Alquimia pode ser usada como um poderoso meio de transformação psicológica, auto-empoderamento e evolução espiritual. O processo de individuação é o verdadeiro ouro que os alquimistas procuravam. Alquimia encerra tesouros de sabedoria que podem ser desvelados por quem queira dedicar-se ao auto-conhecimento integral. A alquimia pretende unir o espírito à alma; ela pode ser usada para transformar hábitos e formas de pensar, em comportamentos com um novo sentido e sucesso, que nos ajudam a lidar eficazmente com os desafios da vida.

Veja na próxima página a continuação do artigo..

O processo alquímico interno acontece várias vezes na nossa vida, em várias áreas. Ele acontece num dado momento, por exemplo, na vida afectiva e noutro momento ligado à carreira e realização criativa. Também pode ser global e profundo envolvendo vários aspectos ao mesmo tempo. A Opus- Obra alquímica, é um processo de vida que exige entrega, labor, paciência, que conduz ao renascimento psicológico e à gradual descoberta do sentido da Vida, nesta conquista evolutiva que em nós se materializa. Há quatro fases da Obra, que é preciso completar para que os processos psicológicos se concluam e renasçamos:

AS QUATRO FASES DA OBRA ALQUÍMICA
Nigredo, ou obra ao negro
Albedo, ou obra ao branco
Citredo (ou citrinitas) ou obra ao amarelo
Rubedo, ou obra ao vermelho

As quatro fases da obra alquímica são uma metáfora extraordinariamente reveladora dos nossos processos psicológicos. Podemos ficar bloqueados numa etapa, depois avançar para a seguinte e voltar a regredir. É por isto que repetimos certos padrões atraindo sempre as mesmas circunstâncias na nossa vida. É também por isto que muitas vezes não conseguimos mobilizar energias para mudar um hábito destrutivo.

Tanto na obra alquímica como no processo de individuação, a passagem de uma fase à outra não é um processo linear mas cíclico, como uma espiral ascendente praticamente interminável: quando terminamos um Rubedo voltamos a um novo Nigredo. É claro que este regresso nunca é a um ponto inicial do processo, mas a um ponto mais interior e mais elevado da espiral: como se caminhássemos numa longa estrada circular para alcançar o topo de uma montanha. É uma circum-ambulação que nos leva de volta ao ponto-pico da montanha, que é o nosso centro, o Self divino.

No próximo artigo ficaremos a saber quais são estas fases, como podemos saber em que fase estamos no presente, e o que fazer para chegar á etapa seguinte.
Vera Faria Leal

VEJA AS ENTREVISTAS DA AUTORA NO SAPO ZEN:

Convidada: Vera Faria Leal

Vera Faria Leal é Licenciada em Relações Internacionais. Trabalhou em Comunicação Institucional, Relações Públicas, Marketing, Qualidade e Formação na Banca durante vários anos.

Diplomada por Louise Hay e convidada por Patrícia Crane - continuadora do trabalho de L.H. no mundo - com quem co-facilitou curso em Inglaterra, para ser a Formadora de Facilitadores do Método Louise Hay em Portugal, desde 2004.

Foi Consultora de Auto-Estima para o programa «Elas em Marte», na SIC Mulher, contando com diversas participações televisivas. Tem artigos publicados na imprensa sobre transformação pessoal e Astrologia.

Estuda Astrologia desde 1995. Faz Aconselhamento Astrológico e é professora de Astrologia Vivencial no Centro Quiron, realizando cursos e palestras no país.

Iniciou com Rui Peixoto em 2008 a Escola de Astrologia do Centro Alquimia do Ser.

Autora de vários livros e Cds de Desenvolvimento Pessoal e do DVD "O SEGREDO PARA ALÉM DE O SEGREDO". Fundadora em Portugal do movimento espiritual internacional: "Humanity`s Team - Juntos pela Humanidade", criado nos EUA por Neale Donald Walsch (autor de Conversas com Deus).
Contactos:

Vera Faria Leal
351+ 965303341

Centro Alquimia do Ser, Av. E.U.A., 32-2º Dt. Lisboa

Email: harmoniaviva@gmail.com

www.verafarialeal.com.pt

Coordenação de Conteúdos:

Heloisa Miranda
email: sapozen@sapo.pt
Veja o programa SAPO Zen: zen.sapo.pt

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.