Através da minha prática profissional, dou-me conta de que, em Portugal, muitas são as pessoas que ainda têm uma ideia errada acerca da utilidade desta arte/ciência penta-milenar. Assim sendo, aqui vão alguns esclarecimentos que, em vez de cheirarem a enxofre e outros 'abrenúncios', falam a linguagem astrológica do século XXI:

A forma mais saudável de encarar a astrologia é considerá-la como uma técnica de compreensão humana. Hoje em dia, importa alterar a visão preconceituosa que ainda subsiste sobre esta matéria, pois é muito fácil culpar os astros pelos nossos 'azares' e frustrações. Porém, os planetas (e o Sol!) não são os causadores ou os responsáveis dos infortúnios seja de quem for; são energias que podem ajudar, desde que se saiba que força têm e o que simbolizam. As posições dos planetas num horóscopo não fazem ninguém feliz ou infeliz; apenas indicam os desafios a enfrentar. Quem os vencer, decerto verá a sua situação melhorada.

Portanto, se pretendes deixar de ser uma criatura "normalizada", para te transformares num indivíduo autónomo, a Astrologia - desde que correctamente entendida e praticada! - tem muito para te oferecer.

A mais nobre função da astrologia é iluminar os traços de personalidade que fazem de ti um ser humano singular. Pode, ainda, indicar os possíveis caminhos de transformação desses traços, para que a paz e a harmonia presidam à tua vida. Contrariamente ao que é corrente supor-se, a Astrologia não lida com previsões infalíveis de factos concretos, adivinhados do futuro; lida, sim, com as motivações pessoais que promovem esses factos!

Veja a continuação do artigo na próxima página

Se pretendes retirar a dor e a confusão da tua vida, a Astrologia - repito: desde que correctamente entendida e praticada - pode mostrar-te (desde que queiras ver!) as arestas do teu comportamento que precisam de ser limadas. Pode ir ainda mais além, sugerindo-te qual o melhor momento para fazer esse auto-investimento. Em última análise, o que se pretende é que venhas a ser capaz de expressar, sem limitações ou medos, a singularidade do ser espiritual que és.

Cabe aqui transcrever as palavras de um dos maiores astrólogos da actualidade: Noel Tyl.

Esteve recentemente no Brasil, onde, em conversa com a astróloga Paula Pinho Falcão*, disse o seguinte:

"O ponto é que nós, astrólogos, somos consultores, não mágicos. Temos de saber o máximo possível sobre a vida, de modo a trazer a Astrologia para a vida.

(...) Mas, o que estamos fazendo para aprender sobre coisas na vida que aprimorem nossas qualificações como consultores? Quantos livros estudamos sobre as preocupações das famílias formadas prematuramente ou sobre o desenvolvimento emocional no lar formado precocemente? E sobre como iniciar o próprio negócio? E sobre considerações legais e emocionais no processo de divórcio? Quantos livros especializados, mensalmente? – Isto é o que traz a nossa Astrologia à vida. Os planetas não fazem nada. Astrólogos fazem.

por: Vitorino de Sousa
por Vitorino de Sousa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.