Por isso, até março, Vénus traz de modo geral alguma calma, descanso e harmonia pela sua natureza pacifista e onde podemos aproveitar para calmamente organizar a nossa vida e o nosso ano.

Porém em janeiro, Mercúrio ficará retrógrado em Aquário e Saturno que também está em Aquário, pedem também responsabilidade e planeamento o que, quando queremos relaxamento, fica mais difícil. Mercúrio (em Aquário) é rápido, devolve depressa. Usa o lado crítico. Racional. Pede para pensar diferente, fazer escolhas por si próprio. Não copia ou imita ninguém. Podem surgir situações acerca de mentiras, coisas escondidas e que podem ser reveladas, o que pode tornar este novo ano mais complexo.

Mercúrio pede também responsabilidade pelas escolhas. O sentido. Os caminhos diversos. E para isso tem de haver uma comunicação verdadeira. Sem acusações. Sem falsidades. Sem dogmatismo (Júpiter em peixes). Mas poderão surgir questões religiosas. Pede para pensar por si mas incluído num todo maior. Evitando seguir pelo caminho que não é o seu. Por isso planeie bem de acordo com o que precisa. Este é um ano de colheita do que plantámos em 2021 e Mercúrio ativa tudo o que são comunicações, acusações e devolve as palavras onde antes houve silêncios. Mercúrio diz que tudo são escolhas e que tudo se baseia no nosso livre arbítrio.

Mercúrio também rege virgem por isso podem ainda estar em foco questões de saúde.

Saturno em Aquário desde dezembro de 2020 a março de 2023 quer modernizar a sociedade. Traz uma nova mentalidade, novos valores, uma maior ligação ao todo. Reforça a informática, a web, as redes sociais e possivelmente também novos vírus e variantes, mas também tratamentos a acompanhá-los.

A ligação Saturno-Úrano traz também tensão. É altura de repensar acerca das intenções e metas tendo em atenção os nossos compromissos. Porém, vem a vontade de mudar. Assim os três primeiros meses em que normalmente começamos com muita energia será importante canalizá-la para a valorização da família e relacionamentos. Vénus está em Capricórnio por isso atenção a tudo o que sejam amores baseados em interesses ou que sobrevivam apenas baseados em aparências ou dinheiro.

Aproveitemos então os primeiros três meses do ano para desfrutar um pouco mais com os nossos, mas atenção a não gastar agora e depois poder faltar mais no fim do ano, altura em que vai pedir a todos mais resiliência. Aproveite uma maior calma para planear a sua vida para o resto do ano.

A partir de março tudo aumenta. O ritmo acelera. Para não ficar meio barata tonta, atenção ao que planeou antes. É um ano para trabalhar a comunicação mais exata.

Em março e abril, Marte em aquário empurra para a ação mais global e rápida.

Julho e agosto, Marte em Touro junta-se a Úrano e desafia depois Saturno, o que pode trazer questões com a banca e crises financeiras.

Podem surgir avanços nas áreas da saúde, não só mais informações quanto ao COVID como outras descobertas, podendo no entanto surgir novas variantes covid. Mercúrio traz também o disseminar, os boatos, o diz que se disse pouco fiável, os mitos e alguns alarmismos.

É um ano em que teremos oito planetas retrógrados (Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno e Plutão), dos quais Vénus toca questões relacionadas com as relações e Marte soma algumas brigas e discussões.

O nodo lunar norte estará em Touro, de 18 de janeiro a 17 julho de 2023, o que mexe com a necessidade de concretização, necessidade de ter resultados pela matéria, pelo trabalho, pelos rendimentos e com a resiliência necessária. Pede a todos nós maior firmeza, buscar situações mais sólidas e reais.

Júpiter em Peixes até maio traz também mais solidariedade, espiritualidade e redescoberta do eu. Música, artes e teatro poderão ter mais apoios. Há mais correntes sociais. Mais sonhos, mais viagens. Também mais vacinas. Peixes traz cura.

Júpiter ativa as questões religiosas mas também políticas. As ideologias e Mercúrio é o grande mensageiro e precisa de ser livre para pensar e para acreditar no que faz sentido à alma.

Depois Júpiter entra em Carneiro de 10 maio a 28 de outubro trazendo mais ação, independência e crescimento mas também mais individualismo e stress.

Podemos considerar o ano de 2022 desafiador mas com grandes transformações e mudanças.

Outro dado importante, Plutão vinha desde 2008 em Capricórnio onde se mantém até 2023 altura em que entra em Aquário. Porém, podemos considerar que em 2022 ele já dá sinais de que é preciso mudar e as mudanças de Plutão não são suaves.

De 2023 a 2043, Plutão em Aquário marcará o fim de estruturas que já não estão ligadas a novos paradigmas. Traz por isso crises em situações caducas para que venham novas realidades.

A última vez que Plutão esteve em Aquário foi de 1778 a 1797 que trouxe por exemplo a revolução francesa (liberdade, igualdade e fraternidade). Anos que pediram para sermos todos iguais. Houve também o Iluminismo. O dar luz a novos valores e poderes. Houve mais espaço para a ciência e a filosofia. Houve também a descoberta de Úrano… e tudo isto trouxe grandes mudanças na sociedade.

Então em 2022 são dados possíveis passos para que depois em 2023 as coisas surjam. Plutão prepara o terreno.

Também teremos muitos eclipses no eixo Escorpião-Touro pedindo um rebuscar da nossa essência. Uma transformação em direção à luz e não ficar nas sombras. No medo.

Veja o vídeo com as previsões para cada signo:

Alexandra Ramos Duarte

#astrologiasemtabus

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.