A vida decorre consecutivamente de ciclos em ciclos. É assim que se faz a evolução do ser humano.

Existe um ciclo a que chamo a morte do velho ego e que os responsáveis são os transcendentes Neptuno e Plutão e que ocorre em todos os seres humanos entre os 51 e 54 anos. Este trânsito astrológico é lento e mexe com a nossa forma de poder. Os nossos sentimentos são colocados à prova, as nossas ilusões têm de morrer através de mudanças muito profundas e podem ocorrer perdas de variadas formas, tanto de pessoas como de bens.

Geralmente existe uma mudança de vida, de objetivos, de crenças, de filosofias. É através dos acontecimentos que a vida nos abranda o ritmo, pois estas efemérides são dolorosas. É um período em que quase sempre surgem problemas de saúde, com o objetivo do ser se questionar, analisar, levando a um aprofundamento espiritual, como busca da compreensão do que está a acontecer.

É sempre um tempo de grandes desilusões (Neptuno)! Onde toca Plutão tudo é arrancado, perdido. É necessário morrer para renascer! Irão ocorrer mudanças radicais e imprevisíveis de pessoas, bens, animais, profissões, paradigmas familiares. Ou seja, no fundo, onde achamos que temos poder.

É um trânsito silencioso como o nevoeiro que turva o discernimento e acaba com o poder do nosso velho ego. As nossas ilusões morrem.

Entre os 51 e 54 anos é muito comum acabarem casamentos, relações, perder pessoas, amizades e trabalhos. E como é um tempo muito fértil em dor, a pessoa desenvolve uma busca espiritual, e após este período estará muito mais iluminada e sábia.

Cristina Candeias: Astróloga desde 1996, é uma das caras mais conhecidas da astrologia nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.