Le Van Se e Thi Loi conheceram-se na década de 1930 no Vietname e nunca mais se largaram. Casaram-se uma década depois dos seus destinos se terem cruzado mas, apesar dos anos felizes que viveram, a vida nem sempre lhes sorriu. Aquando da guerra em que o país mergulhou pouco depois de celebrarem a sua união, Le Van Se, que se tinha alistado no exército, foi capturado pelas forças inimigas. Thi Loi acreditou sempre que o marido regressaria a casa vivo.

Em 1954, as suas preces foram ouvidas. Depois de muitos anos separados, Le Van Se e Thi Loi estavam novamente juntos. Da sua união nasceram cinco filhos, com os quais viveram na aldeia de Tra Que, conhecida por fornecer a cidade de Hoi An, em Quang Nam, de frutas, legumes e vegetais frescos. O fotógrafo vietnamita Nguyen Vu Phuoc conheceu-os na década passada e, pouco tempo depois, convenceu-os a deixarem-se retratar para contar a sua história ao mundo.

A história de Le Van Se e Thi Loi fascinou-o desde o início. "Foram um casal tão único. Viveram juntos e felizes até envelhecerem. Com a força do seu amor, superaram todas as dificuldades e todos os obstáculos com que se depararam e cuidaram um do outro", recorda o fotógrafo. Nessa época, Le Van Se ainda se encontrava de boa saúde. "Todas as tardes, carregava baldes com água para regar os vegetais, enquanto Thi Loi se sentava por perto e os apanhava", confidencia.

Fotógrafos quenianos transformam casal sem-abrigo em modelos para assinalar dia especial
Fotógrafos quenianos transformam casal sem-abrigo em modelos para assinalar dia especial
Ver artigo

"Riam juntos e contavam-me a sua história", lembra ainda Nguyen Vu Phuoc. Pouco depois, as suas imagens começaram a espalhar-se e o casal de anciãos passou a receber visitas regulares dos turistas que chegavam à região para testemunhar a sua felicidade e para os fotografar. Um dia, Thi Loi caiu e partiu uma perna. Devido à idade avançada, deixou de se poder movimentar, mas Le Van Se cuidou da companheira até que a morte a levou. Ainda não tinha feito 89 anos. A perda da amada causou-lhe dor e tristeza. "A sua saúde debilitou-se, impedindo-o de se movimentar mas, ainda assim, continuava a cuidar todos os dias do altar dedicado à sua mulher que construiu", acrescenta ainda o fotógrafo vietnamita, que desde 2013 já ganhou 300 prémios.

Com a morte de Thi Loi e com a consequente reclusão de Le Van Se, os fotógrafos e os turistas deixaram gradualmente de aparecer em Tra Que. "Poucas pessoas conseguirão alguma vez alcançar um amor como este. Eles viveram para se amarem até ao fim, sentindo-se jovens e apaixonados como no dia em que se conheceram", afiança o fotógrafo, nascido em 1967, que já viu fotos suas serem premiadas em países como os EUA, a China, a Argentina e até Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.