Carolina Monteverde é açoreana e aos 17 anos foi para Lisboa para estudar Economia, área onde acabou por se formar. Começou a trabalhar na Banca em 1998 e fez toda a carreira bancária passando por várias áreas de marketing, estratégia e negócio, até chegar a Diretora Geral de uma Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário.

E foi nesta altura que tomou uma decisão. “Percebi que aquele não era o caminho que eu queria para o resto da minha vida, por isso voltei à escola (ETIC) para estudar aquilo que fiz sempre como hobbie: filmar e edição de vídeo”.

Em 2015 fechou o capítulo da Banca na sua vida e deu início ao seu novo projeto: Smile Stories. “O meu projeto de vida, que tem como objetivo perpetuar os momentos em que as pessoas sorriem. Entre as oscilações inesperadas da Vida e aquelas que eu própria vou provocando (como a mudança de vida profissional), vou construindo a minha história, cheia de histórias, pessoas e afetos”.

Carolina lança a 4 de abril o primeiro manual prático, “Fazer Vídeos com o Telemóvel para as Redes Sociais” (Livros Horizonte). Com este livro, a autora pretende ajudar todos os portugueses a tirar partido das funcionalidades do telemóvel para, através de algumas técnicas, conseguirem fazer vídeos com qualidade e ganharem confiança para ir para a frente da câmara.

Ema entrevista, Carolina conta como surgiu a paixão pelo vídeo e o seu projeto de vida, Smile Stories.

“Fazer Vídeos com o Telemóvel para as Redes Sociais”
“Fazer Vídeos com o Telemóvel para as Redes Sociais”, Carolina Monteverde

Como e quando é que surgiu esta paixão pelo vídeo?

O vídeo faz parte da minha vida desde que me lembro de mim. O meu Pai, que era advogado, sempre teve câmara de vídeo e registava todos os nossos momentos em família. Vê-lo a filmar e estar horas a editar os filmes (na altura numa câmara Beta, onde se editava em botões minúsculos) faz parte das minhas memórias de infância. Daí a começar a fazer umas brincadeiras foi um salto. Sempre utilizei o vídeo como forma de contar as histórias vividas entre família e amigos. Filmar e editar foram sempre daqueles momentos em que não dava pelas horas a passar. Como continua a ser hoje, aliás!

Como surgiu a ideia de criar a Smile Stories?

O nome “Smile Stories” surgiu antes de eu saber exatamente o que iria fazer no futuro. Sabia que queria contar histórias. Sabia que queria fazê-lo com vídeos. Mas como iria concretizar esses desejos foi algo que demorou tempo a chegar a mim. Foram cerca de 2 anos a amadurecer o conceito, a ter ideias, a voltar à escola para ter mais conhecimento, aprender novas ferramentas e a chegar à Smile Stories de hoje: um projeto que tem como objetivo perpetuar, em filmes, os momentos em que as pessoas sorriem. Contar as histórias das pessoas, dos momentos e dos projetos de cada um.

Sente que o vídeo pode fazer diferença no sucesso de uma marca? De que forma?

Acredito profundamente. Quando me dizem que o vídeo é o futuro, sou perentória: é o presente! O ritmo alucinante a que andamos todos os dias não nos deixa muito tempo para absorver informação. E a quantidade de informação que recebemos diariamente, reduz a nossa capacidade para apreender a mensagem. O vídeo é a formula ideal para comunicar de uma forma rápida, apelativa e ‘sem esforço’ para quem está a ver. Está demonstrado que, num vídeo promocional, tens que agarrar a audiência nos primeiros 5 segundos do filme. 5 segundos. Agora para e conta 5 segundos. Vê a duração que parecem ter estes 5 segundos hoje em dia…

Ter uma marca com as redes sociais ativas e bem construídas é fundamental para o sucesso da nossa marca. Considera que apostar nas redes sociais tem feito diferença no seu negócio? Qual delas acha que é o ponto forte na sua comunicação? (Instagram, Facebook, Pinterest, etc).

O poder das redes sociais é enorme. É por causa das redes sociais que escrevi e lancei o meu livro. É pelas redes sociais que vem a maioria dos meus novos clientes. Mas há um fator muito importante: depois de te lançares nas redes sociais, tens que estar lá. Com grande assiduidade. Tens que dar a conhecer o teu projeto, mostrar o que andas a fazer, para que as pessoas se lembrem de ti quando precisarem de um trabalho na tua área. É assim com o Facebook, com o Linkedin e com o Instagram, plataformas em que estou presente e onde publico assiduamente. E isso dá trabalho. Ao início sentia uma certa pressão para publicar, mas agora já integrei essa tarefa na minha rotina diária. É a parte do meu dia em que ponho o chapéu de Directora Comercial e de Marketing da Smile Stories.

Carolina Monteverde
Carolina Monteverde créditos: Sara Correia

Como é que as redes sociais são responsáveis por ter escrito e publicado o seu livro?

A diretora geral da editora contactou-me pelo Instagram, dizendo que seguia o meu trabalho há algum tempo, e que gostava da forma como eu comunicava com os meus seguidores desafiando-me a escrever este livro, por acreditar que era uma lacuna no mercado, numa altura em que cada vez mais pessoas se estão a lançar nas redes sociais com marcas próprias e pretendem utilizar o vídeo como ferramenta para dar a conhecer ao mundo as suas ideias e projetos.

Como se inspirou para escrever o livro?

Durante o ano de 2018 organizei vários Workshops, em Lisboa e no Porto, e os participantes foram, na sua maioria, empreendedores que queriam aprender a filmar com o telemóvel para divulgar as suas ideias e negócios. A estrutura “Luzes! Câmara! Ação!” é a que utilizo nos meus Workshops. O livro é inspirado nesta ideia, e tenta ser abrangente no esclarecimento das questões e dúvidas que as pessoas me foram apresentando ao longo de um ano de workshops. O meu objetivo foi fazer um manual prático que abranja a maior parte das questões que as pessoas precisam saber para começar a explorar o poder do vídeo.

Qual é o poder do vídeo?

O ritmo de vida atual é alucinante e somos bombardeados por várias mensagens e solicitações ao longo do dia. O vídeo permite-nos, num curto espaço de tempo passar muita informação e de uma forma apelativa. Para além disso, se o vídeo tiver pessoas a comunicar, permite criar conexão com as pessoas. As pessoas ligam-se a quem está no vídeo, despertando emoções. Este é o poder do vídeo.

A quem se dirige o livro?

A todas as pessoas que queiram aprender a fazer filmes com qualidade, seja para fins profissionais, seja para fins pessoais. O que pretendo é ajudar as pessoas a tirar partido do telemóvel enquanto ferramenta para captar e perpetuar os seus sorrisos. Se vão captar um momento, e contar uma história através do vídeo, que o possam fazer com qualidade, e utilizando algumas técnicas (simples) que farão a diferença na forma como essa história é registada e percepcionada por quem a visualizar. O foco do livro é a publicação desses filmes nas redes sociais: Facebook, Instagram e Youtube.

Pode-se fazer o mesmo vídeos para todas as plataformas (facebook, Instagram e youtube)?

Cada rede social tem o seu público e as suas especificidades. Exploro esses pontos no livro e tento ajudar as pessoas a fazerem vídeos adequados a cada uma das plataformas.

Por que motivo escreveu o livro?

Escrevi este livro porque acredito na magia do vídeo para contar histórias e pretendo que todas as pessoas o possam fazer com qualidade. O momento é único, e a forma como o captamos pode fazer a diferença na forma como aquele vídeo será visto no futuro. Se eu puder ajudar a captar esse momento (e até a contar a sua #smilestories), já valeu a pena.

O que é uma #smilestories?

É a história de cada sorriso, de cada pessoa, de cada momento. É uma história que é primeiro sentida, depois percebida, e só depois filmada e contada. É o que eu espero que os leitores se sintam capazes de fazer depois de lerem o meu livro: contar a sua #smilestories.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.