Os seus momentos mais felizes são aqueles em que, munido dos seus pincéis, enche as telas de cor e de traços que dão, a maioria das vezes, origem a figuras do quotidiano. Dennis Liew, um pintor de ascendência asiática de 34 anos, é a prova de que esta disfunção do espetro do autismo não tem de ser um condicionamento fatal. Antes de arranjar emprego, havia dias em que não fazia outra coisa. "Pinto para me fazer feliz", confidencia.

Foi diagnosticado ainda em criança e sempre teve uma noção muito clara de que não era igual aos outros. "Eu penso de maneira diferente e faço as coisas de maneira diferente. Há alturas em que não me sento na posição que deveria. Mas, apesar de ser diferente, tenho um objetivo de vida e um sonho pelo qual luto", afiança. Os homens correm maiores riscos de vir a sofrer do problema, que atinge uma em cada 200 pessoas.

A síndrome de Asperger é uma perturbação neurocomportamental definida como uma disfunção do desenvolvimento que se manifesta, sobretudo, na interação social, na comunicação e no comportamento. A grande diferença entre esta síndrome e o autismo no seu estado mais puro, como alguns o caracterizam, é o facto de os portadores não apresentarem atraso global no desenvolvimento da linguagem e na aprendizagem.

As suas causas não são ainda totalmente compreendidas. Acredita-se que é provocada por fatores neurobiológicos de base genética que afetam o desenvolvimento cerebral do paciente. Vulgarmente denominado aspie, nasce com a síndrome, que só se manifesta, geralmente, na idade escolar. Stanley Kubrick, Susan Boyle, Andy Warhol, Courtney Love e Bill Gates são algumas das celebridades que nasceram com este síndrome.

Os sintomas mais comuns

Embora esta disfunção tenha origem num funcionamento cerebral particular, afetando a forma como o cérebro processa a informação, não existe nenhum marcador biológico, pelo que o diagnóstico se baseia num conjunto de critérios comportamentais, tais como interesses limitados, comportamentos rotineiros, peculiaridade do discurso e da linguagem, perturbação na comunicação não-verbal e descoordenação motora.

O tratamento e as formas de evolução da doença

Apesar dos muitos avanços científicos, não existe tratamento. O diagnóstico precoce feito por um especialista é essencial no sentido da adoção de um estilo de vida familiar que estimule as aptidões sociais da criança. Inscrevê-la em atividades extra-curriculares e informar os professores são algumas das atitudes a tomar. As consequências sociais da doença podem ser atenuadas com o apoio à integração da criança e à sua aprendizagem.

Muitos adultos aspies, por vezes vistos como excêntricos e extravagantes, são bem sucedidos profissionalmente em áreas criativas ou científicas. Além de Dennis Liew, Stanley Kubrick, Andy Warhol e Bill Gates, o pintor renascentista Michelangelo, o sismólogo Charles Richter que deu origem e nome à escala de Richter, o cientista britânico Henry Cavendish e o compositor clássico Wolfgang Amadeus Mozart são a prova disso.

As maiores dificuldades das pessoas que têm síndrome de Asperger

As pessoas com síndrome de Asperger tendem a destacar-se pelos seus focos de interesse. Muitos costumam desenvolver interesses obsessivos sobre determinados assuntos e não gostam de mudanças, repentinas ou não, nas suas rotinas. Para além disso, tendem a manifestar dificuldades nas relações sociais e têm dificuldade em perceber sinais não-verbais, incluindo os sentimentos traduzidos em expressões faciais.

As dificuldades na comunicação são outro dos problemas que a maioria evidencia. Apesar de poderem dominar a linguagem verbal, como muitas vezes sucede, têm problemas em entender anedotas, metáforas e até entoações. Muitos vão ao ponto de não conseguir perceber afirmações do tipo "Isso para mim é chinês" ou ainda perguntas como "O gato comeu-te a língua?", como sublinham muitos especialistas que com eles lidam.

A falta de pensamento abstrato é outra das características comuns. Podem ser excelentes na memorização de factos e até de números mas têm dificuldade no pensamento abstrato. Na escola, podem ter dificuldade em filosofia mas brilham na matemática. Dennis Liew precisa de tirar fotografias às paisagens de que mais gosta para as conseguir, depois, reproduzir na tela. "Gosto de as pintar porque me acalmam", confidencia.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.