A Greenpeace lançou uma campanha polémica contra a Zara, marca do Grupo Inditex, acusando-a de uso de material tóxico na conceção do seu vestuário.

Após ter tornado público o seu relatório “Fios tóxicos: o grande remendo da indústria da moda”, em Pequim, a ONG lançou uma petição à qual aderiram mais de 300 mil pessoas, desencadeando manifestações públicas um pouco por todo o mundo.

Face ao inesperado impacto da campanha, a Zara emitiu um comunicado no qual se compromete a eliminar todas as substâncias químicas perigosas da sua cadeia de produção, incluindo a dos fornecedores, até 2020.

Como parte do compromisso, a Inditex exigirá que os seus 20 fornecedores divulguem informações sobre as substâncias utilizadas já em março de 2013, “fazendo com que aqueles que moram perto das fábricas tenham acesso às informações sobre os descartes de resíduos no ambiente”.

Martin Hojsik, coordenador da campanha Detox do Greenpeace Internacional, mostrou-se satisfeito com a resolução: “Damos os parabéns à Zara pelo compromisso de fazer moda sem poluir. Se a maior cadeia de lojas de moda do mundo pode mudar, não há desculpa para que as outras marcas não limpem as suas cadeias de produção.

3 de dezembro de 2012

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.