Sandra passou a sua infância e adolescência em Maputo. Regressou a Portugal com 18 anos, para se licenciar em Arquitetura, em 2007. Começou a escrever aos 13 anos e registou a sua primeira obra de poesia aos 19 anos. Hoje, escreve artigos no âmbito do bem estar emocional e mental para diversas revistas e jornais.

“Contos Metafóricos” é a sua primeira obra publicada. Tem por propósito apoiar o desenvolvimento pessoal de jovens e adultos, através da leitura interpretada de metáforas.

Quem é a Sandra Pereira, empreendedora?

Sou uma mulher ambiciosa e criativa, essências que considero relevantes para uma empreendedora. Gosto de me reinventar, de imaginar coisas diferentes e que possam servir de utilidade para os outros, bem como para minha realização pessoal e profissional.

Coaching através da metáfora: como e porquê?

A metáfora só por si, é uma ferramenta de apoio a terapeutas, na forma verbalizada.

Se, porventura, for escrita com o intuito de melhorar ou despertar o inconsciente do leitor, pode servir de “espelho”: onde o leitor se revê ao refletir sobre o conteúdo ou mensagem incutidos na metáfora.

A metáfora tem um dialeto próprio?

Tem uma estrutura própria e única, não diria dialeto. Ou seja, tem de ter uma mensagem subliminar, personagens e contexto lúdico que embeleze a história que é transmitida.

Deve ser contada de forma a enunciar a “situação” a resolver e, no final, apresentar a “solução” do “problema”.

Na sua abordagem destaca a importância dos recursos emocionais positivos. O que são e como os gerar?

Todos possuímos recursos emocionais positivos, graças à experiência de vida de cada um: o que vamos fazer é ancorar e eliciar os mesmos através da reflexão ou espelhamento na metáfora. São considerados recursos emocionais positivos: coragem, segurança, calma/tranquilidade, paciência, respeito, amor, alegria, etc.

Ao ler uma história metafórica, está implícito o recurso emocional para além da situação danosa ou negativa: um recurso é eliciado na leitura, mediante a noção refletida que o leitor sente quando lê e se identifica com a situação.

Outra das suas preocupações é a higiene mental. O que entende por isso?

Higiene é limpeza. Mental refere-se a tudo o que envolve emoções-pensamentos-comportamentos, por esta ordem. Ao praticar o bom pensamento (positivo) vou eliminar antes que aconteça o seu oposto: a desmotivação, a falta de foco, a falta de segurança, etc.

5 dicas sobre como manter a nossa higiene mental:

1ª – Autoestima: amar-se enquanto ser individual, independentemente dos sucessos alcançados, permitindo SER e existir neste mundo;

2ª – Criar pensamentos positivos: um por dia e ir repetindo mentalmente ao longo de um dia;

3ª – Praticar exercício físico: ao fazê-lo está a libertar endorfinas e hormonas positivas que auxiliam nesta “positividade” mental;

4ª – Comunicar de forma assertiva: construir pensamentos direcionados para o “bem” do outro e comunicar de forma ecológica e coerente com o estado em que se vive;

5ª – Relaxar e respirar, fazendo várias pausas por dia: a melhor forma de vivermos em contacto connosco próprios é através da respiração que nos mantém vivos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.