Estatisticamente 7 em cada 10 mulheres sofrem de doença venosa, razão pela qual a Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular está a promover uma campanha de sensibilização.

Armando Mansilha, secretário-Geral da referida instituição, explica que a “campanha ‘Veias saudáveis?’ consiste numa ação de sensibilização que estará presente em todos os centros de saúde e unidades de saúde familiar de Portugal, durante os meses de verão, com o objetivo de alertar toda a população para a elevada prevalência e as graves consequências da DVC, através da realização de um teste rápido de avaliação de sintomas e sinais característicos da doença”.

Abrangendo um total de 1712 instituições, os testes serão distribuídos nos cuidados de saúde primários e, depois de preenchidos pelo utente, devem ser entregues ao médico de família que os aconselhará.

Segundo o nosso interlocutor, apesar de ser a primeira vez que se realiza esta campanha, “a SPACV organiza regularmente outras campanhas/iniciativas a nível nacional com objetivos semelhantes. A nossa preocupação é sensibilizar a população portuguesa para esta doença que afeta 2 milhões de mulheres portuguesas com mais de 30 anos e que é desconhecida e desvalorizada por grande parte das pessoas, sendo muitas vezes encarada apenas do ponto de vista estético”.

Armando Mansilha explica que a doença venosa “define-se como uma inflamação ao nível das veias que leva à sua dilatação e consequente deformação que tem como principais sintomas, a dor, a sensação de pernas pesadas e inchadas, o rubor, o calor, as cãibras e a comichão. Estes sintomas traduzem-se em diversas dificuldades como, por exemplo, em dormir e em efetuar as tarefas do dia-a-dia, tais como subir escadas, ajoelhar-se, caminhar depressa, entre outras. Com a evolução da doença aparecem as complicações mais graves como as alterações cutâneas e ainda a úlcera de perna”.

De forma a tornar a campanha ainda mais elucidativa, está a ser distribuído um panfleto com 10 conselhos úteis recomendados pela Sociedade Portuguesa de Cirurgia e Angiologia Vascular, para que os doentes adotem um estilo de vida mais saudável e, assim, previnam o aparecimento e a progressão da DVC.

O secretário-geral da Sociedade remata com os seus conselhos: “Para além do diagnóstico precoce e dos tratamentos adequados, é de realçar a importância das medidas preventivas. As pessoas que são portadoras, ou potenciais doentes venosas, devem evitar desportos muito violentos e agressivos como o ténis, voleibol, futebol, aeróbica e equitação por estarem sujeitos a traumatismos. Por outro lado exercícios como a natação, a hidroginástica, a marcha, o ciclismo e todos os exercícios que mobilizem e promovam a drenagem dos membros inferiores, são altamente recomendados, quer para ajudar o tratamento quer na prevenção. Caminhar ao longo da praia com as pernas dentro de água, na zona de rebentação, é também muito benéfico.”

26 de junho de 2012

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.