Num comunicado divulgado hoje, a autarquia explicou que, através da aplicação para telemóveis `MATOSINHOS AYR´, que foi desenvolvida pelo CEiiA - Centro de Engenharia e Desenvolvimento e na quinta-feira vai ser disponibilizada a 50 munícipes de forma experimental, a população pode ser recompensada por, no dia a dia, optar pela mobilidade sustentável.

Ao privilegiarem os meios de transportes sustentáveis como, por exemplo, bicicleta em vez do carro, as pessoas que tenham descarregado a aplicação vão acumular créditos, que serão armazenados numa carteira virtual onde é possível cada utilizador ver a poupança de carbono efetuada nas deslocações.

“As poupanças de carbono serão convertidas em créditos que podem ser descontados nos transportes públicos, no estacionamento na via pública, no aluguer de bicicletas e trotinetas elétricas, entre outros serviços ou bens municipais”, referiu a Câmara de Matosinhos.

Além desta vertente, a aplicação vai permitir que os utilizadores consigam alugar bicicletas ou trotinetas elétricas, comprar e validar títulos de transportes públicos ou pagar estacionamento na via pública.

A aplicação possibilita, ainda, carregar veículos elétricos ou ter acesso a informações como linhas e horários de autocarros ou tempos de espera nos locais de embarque.

Citado na nota de imprensa da autarquia, o vereador da Mobilidade e Transportes, José Pedro Rodrigues, refere que um dos grandes desafios que se colocam às cidades é a criação de ferramentas que proporcionem aos cidadãos maior eficácia na gestão das opções de mobilidade.

“Em Matosinhos queremos que tenham na palma da mão as diferentes opções para poderem escolher os meios de transporte que melhor os servem e, sobretudo, poderem escolher entre meios de transporte ativos e sustentáveis”, disse.

Para o vereador, “é imperioso que se mudem hábitos”.

“Para que isso aconteça de forma efetiva, sustentável e duradoura, temos que colocar o cidadão no centro destas transformações”, frisou.

Por isso, explicou, no projeto-piloto de 50 cidadãos, procurou-se “incorporar munícipes com necessidades e hábitos de mobilidade distintos”, de forma a “ajudar a aperfeiçoar o sistema”.

Neste grupo de 50 utilizadores encontram-se trabalhadores do município, CEiiA, comunidade escolar e outros cidadãos.

O objetivo é que, durante os próximos meses, se possam afinar as diversas funcionalidades da aplicação, bem como enriquecê-las.

A intenção é que, quando fique disponível ao público, possa ser uma ferramenta de referência na gestão de mobilidade de todos os cidadãos, vincou o vereador.

Esta iniciativa insere-se no `Living Lab´ (Laboratório Vivo) Carbono-Zero de Matosinhos, um espaço delimitado geograficamente na cidade para o teste, experimentação e demonstração de soluções tecnológicas de baixo carbono, em contexto real, com vista à descarbonização do município.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.