A alimentação representa cerca de 25% das despesas das famílias, de acordo com dados do Pordata, relativos ao segundo trimestre de 2015. A redução do poder de compra obrigou muitos portugueses a reverem os seus hábitos enquanto compradores: estão mais atentos ao preço, às promoções, compram menos, mas de forma mais consciente. No entanto, um aspeto fundamental é não abdicar de uma alimentação saudável.

Comer alimentos processados, congelados e já preparados pode ser prático, mas tem prejuízos para a saúde e, contrariando a ideia instituída, para a carteira. Não sendo uma missão impossível ter uma alimentação saudável exige conhecimento, tempo e paciência. Fique a conhecer sete dicas para poupar com a alimentação saudável.

1. Tenha uma alimentação inteligente

De acordo com o livro “Alimentação inteligente”, publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), que está disponibilizado gratuitamente ‘online’, é possível poupar dinheiro ao fazer melhores escolhas de alimentação. O segredo é a organização e seguir os cinco conceitos-chave para uma alimentação saudável e económica: evitar comprar “lixo alimentar”, apostar num bom pequeno-almoço, optar por confecionar refeições saudáveis para levar para escola e trabalho, comer sempre sopa e seguir a dieta mediterrânica. Saiba mais no artigo: Seis dicas para ter uma alimentação ‘low cost’ saudável.

2. Planeie as refeições

Este é um passo fundamental para poupar nas compras de comida e evitar ter opções menos saudáveis. Esta é uma tarefa para a qual deve dedicar algum tempo. Quando estiver a planear as refeições pense nas seguintes questões: Que alimentos tenho em casa? Posso reparar refeições saudáveis com o que tenho? O que tenho de comprar para fazer refeições saudáveis a baixo custo? De seguida faça uma lista de compras e consulte os folhetos com promoções e faças as suas escolhas, tendo em consideração os produtos em promoção. Leia o artigo: Como fazer refeições por menos de 1,25 euros?

3. Escolha sempre fruta e hortícolas da época

Uma dica importante que nem sempre é tida em consideração: Quando está a fazer a lista de compras e a planear refeições lembre-se de escolher fruta e legumes da época. São mais económicos e nutritivamente mais ricos. Segundo a publicação “Alimentação inteligente”, duas sopas (almoço e jantar) e três peças de fruta têm o custo diário por pessoa de 1,21 euros. Conheça aqui o calendário de produção nacional. Leia o artigo:  Oito cabazes de frutas e legumes por menos de 16 euros

4. Conheça as regras da cozinha saudável

Ter uma alimentação saudável significa cortar nos fritos. Opte antes pelos estufados, cozidos, grelhados e assados com pouca gordura. Coloque pouca gordura – quando o fizer opte pelo azeite, reduza a quantidade de sal ao optar pelas especiarias e ervas aromáticas. Não exagere no tempo de confeção dos alimentos, porque gasta mais energia e os alimentos perdem valor nutricional. Guarde a água de cozedura dos hortícolas e utilize-a para outra confeção, por exemplo, para a sopa. Leia o artigo: Seis ideias de marmitas saudáveis e 'low cost'

5. Aproveite os alimentos na totalidade

Sabia que apenas 40% das frutas e hortaliças são aproveitadas? E que a casca e talos das mesmas têm mais nutrientes do que a polpa? Adote o princípio do “aproveitamento integral dos alimentos” para reduzir o desperdício dos alimentos e melhorar a alimentação. Inspire-se em algumas ideias que estão no E-book da Eurest “Receitas saudáveis e sustentáveis”. Leia  o artigo:  Cinco formas de reduzir o desperdício alimentar em sua casa

6. Compre carne a granel

Irá poupar dinheiro se optar por comprar carne a granel, do que se optar pela carne já embalada, de acordo com a edição de novembro de 2015, da revista Proteste. Além disso, há a vantagem de poder escolher o corte ou a peça. A mesma publicação indica que a carne adquirida nos talhos dos supermercados é mais económica do que se comprada num talho de rua. Leia o artigo:  Como organizar o frigorífico e evitar o desperdício

7. Escolha o supermercado mais barato

A Deco disponibiliza um simulador onde pode descobrir qual é o supermercado mais barato na sua zona de residência. Para tal, basta indicar o distrito, concelho e o cabaz. O supermercado que praticar melhores preços tem melhor classificação, mas é preciso ter em consideração que o simulador não tem em consideração cartões de fidelização, descontos, nem promoções de folhetos. Leia o artigo:  Como poupar nas compras de supermercado

Leia também:

Três receitas para fazer com os seus filhos

10 Sites para gerir melhor as suas despesas

Sete formas de poupar dinheiro no restaurante

Saiba como tirar melhor partido dos sites de desconto

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.