Os profissionais devem adoptar a prática de exercício físico no ambiente de trabalho, durante o horário de expediente, para promover a saúde e evitar lesões de esforços repetitivos e doenças ocupacionais.

A ginástica laboral consiste em alongamentos, relaxamento muscular e flexibilidade das articulações. Apesar de a prática da ginástica laboral ser colectiva, ela é moldada de acordo com a função exercida pelo trabalhador.

Actualmente, passamos a maior parte do tempo no trabalho. Muitas vezes permanecemos em pé várias horas por dia, a realizar uma única função, que inclui muitos movimentos de agrupamentos musculares específicos.

Isto pode originar desequilíbrios musculares que, associados ao stress mental do dia a dia, geram resultados negativos para a saúde dos profissionais, ocasionando dores e, a longo prazo, alterações em todo o organismo.

Posturas ocupacionais ou funcionais inadequadas por tempo prolongado, em função de postos de trabalho mal projectados, podem acarretar lesões de carácter ocupacional.

A prática regular de ginástica laboral – uma sequência de exercícios diários que visam normalizar as capacidades e as funções corporais para o desenvolvimento do trabalho – consiste em exercícios de aquecimento músculoesquelético, alongamentos, resistência muscular localizada e relaxamento.

Estes exercícios promovem a prevenção das lesões profissionais. Previnem ainda o sedentarismo, o stress, a ansiedade, a depressão, e reduzem a sensação de fadiga no final do dia, melhorando a qualidade de vida do profissional.

Saiba mais na próxima página

A ginástica laboral é geralmente realizada em sessões de curta duração (8 a 15 minutos) no próprio local de trabalho. Os programas de ginástica laboral são criados de acordo com as características e necessidades de cada categoria profissional.

Agem de forma terapêutica, relaxando a musculatura que é exigida em excesso durante o dia de trabalho. Assim se consegue uma quebra da rotina, despertando os trabalhadores e prevenindo desta maneira lesões ocupacionais.

Os três tipos de ginástica laboral:

● Preparatória
Realizada antes, ou logo nas primeiras horas, do início do trabalho. É constituída por aquecimentos e ou alongamentos específicos para determinadas estruturas exigidas. O objectivo é aumentar a circulação sanguínea, lubrificar e aumentar a viscosidade das articulações e tendões. Geralmente tem duração de 5 a 10 minutos.

● Compensatória
Realizada no meio do dia de trabalho, como uma pausa activa para executar exercícios específicos de compensação. Praticada em qualquer sítio da empresa, utiliza exercícios de descontracção muscular e relaxamento, visando diminuir a fadiga e prevenir as doenças profissionais crónicas.

● Relaxamento
Realizada após o expediente de trabalho, a ginástica laboral de relaxamento tem como objectivo reduzir a tensão muscular criada pelas actividades realizadas no trabalho, para que estes músculos não desenvolvam, aos poucos, pequenas lesões que se podem tornar maiores com o passar dos dias.

Sentado ou em pé?
Numa visão geral, a postura sentada poderia ser considerada vantajosa em relação à postura em pé, porque cansa menos, exige menor gasto energético, diminui os movimentos das pernas, entre outras vantagens. No entanto, ela sobrecarrega o corpo, principalmente quando se permanece muito tempo nessa mesma postura e em condições nada ergonómicas.

Assim, todos os trabalhadores deveriam realizar exercícios de preparação para o trabalho que vão realizar. Relaxamento e alongamento dos grupos musculares das mãos, braços, pescoço, lombar e pernas.

Um indivíduo (sem qualquer problema circulatório) que trabalha 8 horas por dia, fazendo intervalos normais (almoço e lanche), chega ao final do dia de trabalho com um aumento de 5 a 7% no volume total das suas pernas.

Saiba mais na próxima página

Ficar longos períodos numa só posição provoca uma sobrecarga na coluna vertebral como um todo, uma vez que a coluna constitui uma base firme para sustentação de estruturas anatómicas contíguas, como costelas e músculos abdominais, permitindo a manutenção de cavidades corporais com formas e tamanhos relativamente constantes.

A coluna recebe as cargas mecânicas resultantes das forças da gravidade, gerando dores, pressões intra-abdominais e desvios posturais. Nesse sentido, as pausas são necessárias para suavizar os danos dessa sobrecarga.

Os distúrbios podem ser amenizados adoptando um programa correcto de prevenção com exercícios muito específicos, que poderão ser aconselhados pelos profissionais mais qualificados para a realização deste tipo de terapia.

Os fisioterapeutas e pessoas ligadas à educação física têm uma relação directa com a actividade física na procura de uma melhor qualidade de vida.

Flexibilidade e mobilidade
Os alongamentos servem para melhorar a flexibilidade e organização das fibras musculares, além do alívio das tensões e prevenção de lesões futuras. Os exercícios possuem uma função específica para melhorar a mobilidade articular, possuindo pequenos movimentos sequenciais e de pouca repetição.

Os exercícios devem ser realizados de 5 a 8 vezes, e os alongamentos devem ser realizados para ambos os lados, (esquerda e direita) durante 30 segundos numa repetição.

Benefícios para a empresa
Diminuir os problemas de saúde no trabalhador é sinónimo de aumento de produtividade na empresa. Essa afirmação verifica-se de diversas formas, mas os principais pontos notados são a diminuição na ocorrência de faltas ao trabalho por motivos médicos e também a diminuição dos acidentes de trabalho.

Saiba mais na próxima página

Benefícios da ginástica laboral

● Fisiológicos
- Possibilita uma melhor utilização das estruturas osteo-mio-articulares.
- Previne e combate as doenças profissionais.
- Previne e combate o sedentarismo, o stress, a ansiedade e a depressão.
- Melhora a flexibilidade, a força, a coordenação, o ritmo, a agilidade, e a postura.
- Promove a sensação de bem-estar.
- Reduz a sensação de fadiga no final do dia.
- Promove a saúde e a qualidade de vida.
- Propicia relaxamento ao corpo humano.

● Psicológicos
- Aumenta a motivação e a auto-estima.
- Melhora o equilíbrio psicológico.
- Desenvolve a consciência corporal.
- Combate as tensões emocionais.
- Melhora a atenção e a concentração.

● Sociais
- Favorece o relacionamento social e o trabalho em equipa.
- Melhora as relações interpessoais.

● Empresariais
- Reduz as despesas com o afastamento e a substituição de pessoal.
- Diminui o absentismo.
- Melhora a imagem da instituição junto dos empregados e dos clientes.
- Aumenta a produtividade.

História da ginástica laboral
Os primeiros registos da prática de ginástica Laboral são de 1925. Neste ano, na Polónia, os operários exercitavam-se com uma pausa adaptada a cada ocupação particular.

Alguns anos depois, esta ginástica foi introduzida na Holanda e na Rússia. No início da década de 60, ela começou a ser praticada na Alemanha, Suécia, Bélgica e Japão. Os Estados Unidos adoptaram a ginástica Laboral em 1968.

Os norte-americanos criaram a International Management Review, uma das mais significativas avaliações sobre a saúde do trabalhador pelo exercício físico. Ainda nesta época, a NASA, a agência espacial dos Estados Unidos, envolveu 259 voluntários numa pesquisa, que obteve resultados significativos.

A partir daí a ginástica laboral expandiu-se chegando a vários países e empresas que a adoptaram como um meio essencial para prevenir algumas doenças profissionais.

Modelo: Anabela Cardoso
Fotografia: Paulo Neto
Agradecimentos: Juliana Prestes Mancuso, fisioterapeuta, especialista em fisiologia do exercício, em fisioterapia ortopédica e traumatológica e em reabilitação do sistema músculo-esquelético, Brasil

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.