Já viu que passa a vida a correr? Pare para pensar na vida que leva e, se for caso disso, repense todas as suas prioridades. "Vivemos numa época de pressão excessiva, que exige ligação ao resto do mundo, que estejamos constantemente a par das últimas notícias e que acompanhemos a velocidade estonteante dos avanços tecnológicos, mudanças de estilo de vida e novas formas de cultura popular", afirma Lola A. Åkerström.

"Movemo-nos a um ritmo antinatural", defende mesmo a autora do livro "Lagom – O segredo sueco para viver bem", publicado em Portugal pela Editorial Presença, uma das grandes defensoras desta filosofia de bem-estar sueca que privilegia a harmonia, o equilíbrio, a moderação e a satisfação com aquilo de que (já) dispomos. Uma crítica ao mundo consumista em que nos habituámos a viver.

"Lagom é uma forma de pensar que procura combater o stresse de forma a aumentar a produtividade", descreve Lola A. Åkerström. "Devemos, por exemplo, livrar-nos das muitas coisas, tendo em conta que menos é mais. Na relação vida/trabalho, devemos privilegiar o equilíbrio, a confiança nas relações e a harmonia na sociedade, para evitar situações de stresse desnecessário", apregoa, em jeito de explicação.

O lagom versus o hygge

A Suécia e a Dinamarca, que popularizou o hygge, inspirado no estilo de vida dinamarquês, tendem sempre a surgir no topo das listas dos países mais felizes do mundo. "Lagom e hygge são, realmente, irmãos nórdicos. Mas, enquanto os valores de ambos procuram a harmonia, o contentamento e o sentido de pertença, o lagom tem uma forma mais abrangente de ver, fazer e existir", defende a autora.

"É uma mentalidade subjacente sobre o que significa viver e pensar como um sueco", afirma Lola A. Åkerström. "Hygge refere-se a momentos, enquanto lagom está subjacente a algo duradouro que se quer manter constante. O lagom pretende que vivamos todos os dias de uma forma em que consigamos manter o contentamento e a harmonia", acrescenta ainda a seguidora desta corrente.

"No meu caso específico, passei a ouvir melhor os outros, apenas por falar menos e partilhar apenas a informação relevante", desabafa. "No que toca ao bem-estar, aprendi a dizer não mais vezes e, mais importante, a não me sentir culpada por isso. Passei a ter mais compaixão por mim própria", assume. "Se falhar, já não sinto a necessidade de voltar a tentar logo de seguida", garante a especialista sueca.

6 passos que vão tornar a sua via mais lagom

1. Arranje tempo para limpar os armários e para fazer uma vistoria ao (muito) que tem lá por casa. Precisa mesmo de cinco vestidos de renda preta idênticos ou de oito camisas brancas? E para que guarda aqueles presentes de que não gostou e que só lhe ocupam espaço? Se não usar uma peça ou qualquer outro objeto há mais de um ano, talvez esteja na altura de o vender ou de o dar a alguém que possa precisar.

2. Faça duas listas das coisas que deveria rever na sua vida, tanto a nível físico e mais terreno como a nível sentimental e emocional. Tudo o que não se insira nestas categorias pode ser retirado. Pode incluir aqui as tal coisas que tem a mais lá em casa, na arrecadação e/ou na garagem, assim como os sentimentos, os medos, os anseios e as aspirações que, seja realista, já não vai a tempo de concretizar.

3. Feche a boca, privilegie o silêncio e foque-se mais em si. A lição mais importante que podemos aprender aqui é como escutar mais e falar menos. A rotina dificulta a nossa capacidade de viver equilibradamente e as muitas tecnologias à nossa disposição à nossa volta nem sempre o permitem. Não estará, por exemplo, na hora de agendar uma desintoxicação digital?

4. Aprenda a dizer não com frequência e a ser mais tolerante. Consigo e com os outros! Não há problema em falhar, mas é importante parar e até, se for caso disso, dar um passo atrás antes de dar um salto para se reerguer e avançar. Também só deve recomeçar quando se sentir pronto. Não ceda a pressões. Esteja atento aos sinais porque, só quando esse momento chegar, é que o vai conseguir perceber.

5. Encha a casa de flores. Trazer plantas e flores frescas para as nossas casas limpa o ar e promove o bem-estar geral. Veja a galeria de imagens com as 5 plantas que a ciência garante que purificam o ar.

6. Já reparou nas horas a que anda a sair? Precisa mesmo de trabalhar horas extras? Se não é o caso, pergunte a si mesmo porque o faz. E organize-se melhor! Se todas as suas realizações forem planeadas e ponderadas ao minuto, as alterações serão notórias. Compre também menos mas invista na qualidade. É melhor poupar e comprar um artigo sólido e duradouro do que uma dúzia de artigos baratos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.