O que se sabe, em todo o caso, é que a escassez de nutrientes é um dos grandes venenos da beleza. É possível perceber a falta deles no rosto da pessoa. Quem não assimila adequadamente, por exemplo, a vitamina A (presente em vegetais, na gema do ovo e no fígado, entre outros alimentos), tem comprometida a elasticidade da pele. Aqueles que fazem pouco uso de ovos, leite e carne, ricos em proteínas, também podem padecer do mesmo mal.

Vale dizer que, se o corpo se ressente da ausência de nutrientes, não existe cosmético que ajude. "Nenhum creme resolve a falta de proteínas. Sem elas, o corpo vai tirar de outras partes o material necessário para recuperar os tecidos e pode enfraquecer, por exemplo, os cabelos e as unhas".

A carência de vitaminas também pode comprometer a capacidade de resistir a infeções. E tudo isso não é privilégio de quem come pouco ou mal. Muita gente que passa a semana à base de refeições prontas ou congeladas corre o risco de ter uma dieta pobre em vitaminas e minerais, apesar de rica em calorias.

Nutrição de dentro para fora
Afinal, está provado que os cremes, por mais sofisticadas que sejam as suas fórmulas, não ultrapassam a primeira camada da pele. A nutrição das camadas mais profundas tem de vir de dentro para fora. E isso, só se obtém com uma alimentação variada e, se necessário (em casos específicos), com suplementação de compostos vitamínicos.

Um dos argumentos em favor da nutrição da pele com alimentos - e mesmo suplementos - é um estudo feito por pesquisadores holandeses. Publicado no Jornal Internacional de Nutrição, é uma revisão de dezenas de trabalhos nessa área. Os especialistas concluíram que uma dieta enriquecida pelas vitaminas A, E e C garante ao organismo um ligeiro aumento da capacidade da pele se defender dos raios solares do tipo ultravioleta, um dos maiores inimigos da epiderme.

Saiba mais na próxima página

Nutrientes necessários

- Peixe, o alimento da pele
Rico em proteínas (uma pequena porção fornece entre um terço e metade da dose diária de proteínas), o peixe fornece ainda outros nutrientes importantes para a pele. Os peixes magros, como a solha e o linguado, são pobres em gorduras e ricos em Vitaminas B12. Os peixes gordos como as sardinhas, o salmão e cavala, fornecem ácidos gordos omega-3, vitaminas A e D e zinco. As sardinhas ainda contêm ferro. Enlatados, estes peixes são acessíveis e económicos, e as suas espinhas tornam-se comestíveis fornecendo cálcio, flúor e fósforo.

- Ácidos gordos essenciais
Entram na constituição de todas as células. Como o organismo não produz ácidos gordos essenciais, tem que ir buscá-los aos alimentos. Os ácidos gordos omega-6 derivam principalmente do ácido linoleíco dos óleos de açafrão ou cártamo, girassol, gérmen de trigo e milho. No organismo, este ácido transforma-se em ácido gama-linoleico, essencial na produção de queratina e colagénio e na manutenção do equilíbrio hormonal. A maioria dos ácidos gordos omega-3 provêm do ácido linolénico do peixe gordo; os óleos de soja e colza contêm uma mistura de ácidos gordos ómega-3 e ómega-6.

- Vitamina A
Poderoso antioxidante e parte essencial nestes processos, existe em abundância no fígado, rins, peixes gordos, leite, gema de ovo, queijo, manteiga. O organismo transforma o betacaroteno dos frutos e legumes cor de laranja e verdes escuros (cenoura, abóbora, brócolos, alperces e manga), em vitamina A, antioxidante que protege do cancro de pele, entre outros.

- Vitamina C
Outro antioxidante, fundamental na produção de colagénio. Combinado com outros nutrientes, como a rutina dos citrinos, pimentos e trigo sarraceno, fortalece os vasos capilares que se encontram na superfície da pele, desempenhando ainda um importante papel na cura de ferimentos. Citrinos, amoras, morangos, goiaba, quiwi, e pimentos são boas fontes de vitamina C. Como a vitamina é facilmente destruída durante a cozedura, é aconselhável consumir a fruta e os legumes crus.

- Vitamina E
Esta vitamina trabalha em equipa com os ácidos gordos essenciais. Evita a oxidação das gorduras e, consequentemente, a produção de radicais livres. Existe em sementes e óleos e seus derivados, margarina, abacate, frutos secos, gérmen de trigo, pão integral, gemas e cereais integrais.

- Vitaminas do Complexo B
São responsáveis pelo crescimento e divisão celular, em especial a vitamina B12 , permitindo o crescimento do cabelo e a renovação das células mortas da pele. Qualquer proteína de origem animal é uma boa fonte de vitamina B12 (1 porção de peixe magro ou 1 ovo fornecem a dose diária recomendada para um adulto). Outras vitaminas do complexo B estão presentes nos cereais integrais, extrato de levedura, lacticínios, leguminosas, fígado, legumes verdes, marisco, carne magra, ovos, frutos secos, sementes e fruta seca.

- Zinco
Encontra-se no marisco (em especial nas ostras), mas também nas leguminosas, sementes de abóbora, pão integral, e outros cereais integrais. Os alimentos ricos em zinco ajudam na cicatrização da pele e na prevenção de infeções dérmicas.

- Água
Quando o nível de água baixa na epiderme, a pele fica seca e estala. É aconselhável beber pelo menos 8 copos de água por dia.

Saiba mais na próxima página

Menu ideal
Quanto antes a pessoa se interessar pela elaboração do menu, melhor. Procurar um nutricionista pode ajudar a garantir a beleza da derme no futuro. O consumo de alimentos ricos em licopeno, substância presente no tomate e no morango, por exemplo, previne a ação do tempo. O licopeno é importante para a proteção das células.

De igual modo também não se deve desprezar as sementes da uva. O certo é mastigá-las, já que possuem antioxidantes (elementos que ajudam a combater o envelhecimento) em grandes quantidades. As folhas verdes são mais alguns ingredientes indispensáveis. As verduras contêm vitaminas, minerais, fibras e ferro.

O cardápio de quem deseja manter a pele em ordem deve incluir ainda muita água. Alimentos como melão e melancia são excelentes. Mas isso não dispensa o consumo diário de dois litros de água. Uma boa sugestão para garantir nutrientes sem precisar de se prender a listas e tabelas ou sem tomar suplementos é variar o cardápio e encher o prato de frutas, verduras e legumes.

Delicie-se com saladas de pimentos assados ou legumes de folha e cenoura ralada temperados com azeite e limão; de vez em quando uma mão cheia de frutos secos a acompanhar, como nozes e amêndoas. Coma ostras, camarão ou gambas, ricos em zinco, ou aposte numa salada ou sumos de frutos de polpa amarela : alperce, laranja, pêssego, melão, manga e toranja . Delicie-se com a nossa sugestão:

Salada de Abacate com noz
Rica em Vitamina E e em ácidos gordos essenciais

Ingredientes:
2 Abacates maduros
Sumo de limão
Alface
100 g de nozes

Para o molho:
Sumo de uma laranja
2 colheres de sopa de óleo de noz
2 colheres de chá de vinagre
Sal e Pimenta (facultativo)

Modo de preparação:
Descasque o abacate, corte-o ao meio e tire-lhe o caroço. Corte-o às fatias. Regue com sumo de limão ou com um pouco de óleo de noz para não escurecer. Disponha as folhas de alface numa travessa. Coloque por cima as fatias de abacate e espalhe as nozes. Deite os ingredientes para o molho num frasco com tampa de enroscar e agite para misturar. Sirva o molho à parte. Como acompanhamento poderá escolher para beber sumo de fruta natural com citrinos, maçã, alperce e ananás, podendo juntar também legumes como a cenoura e o tomate.

Agradecimentos: Elsa Tristão Luís, nutricionista

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.