As varizes são veias dilatadas e nodosas que surgem com maior incidência nas pernas. Mas, para melhor combater o seu aparecimento é necessário compreender como funciona a circulação sanguínea nesta zona do corpo.

10 dicas (e alguns truques) para se livrar da retenção de líquidos
10 dicas (e alguns truques) para se livrar da retenção de líquidos
Ver artigo

Existem nas pernas artérias (que transportam o sangue de cima para baixo) e veias (que trazem o sangue dos pés para o coração). Para que as veias consigam vencer a força da gravidade, possuem válvulas que forçam o sangue a subir, impedindo que este se acumule e reflua no sentido descendente.

Contudo, tanto o mau funcionamento destas válvulas como a dilatação das paredes das veias, podem proporcionar o refluxo de sangue em sentido contrário.

Fatores que podem influenciar as alterações venosas

  • Idade - embora possa surgir na adolescência (pernas pesadas) é mais frequente acima dos 40 anos;
  • Sexo - é mais frequente na mulher;
  • Hereditariedade;
  • Excesso de peso - dificulta o retorno venoso;
  • Alterações hormonais - durante a gravidez ou tratamentos hormonais;
  • Estilo de vida - permanência prolongada em pé ou sentada;
  • Calor ou exposição solar - dilata as veias superficiais, torna as pernas pesadas e dolorosas;
  • Roupas e sapatos apertados - dificultam a circulação;
  • Prisão de ventre - o enchimento intestinal exerce pressão sobre as veias, nomeadamente as do ânus (hemorroidais), dilatando-as.

Sintomas

Cansaço ao fim do dia (sensação de pernas pesadas).

Aumento do volume dos tornozelos, das cãibras e da comichão (nas mulheres, estes sinais são mais intensos antes da menstruação).

Derrames e veias dilatadas, tornando-se poste- riormente azuis, mais dilatadas e tortuosas, po- dendo surgir manchas acastanhadas.

Edemas nos pés e tornozelos.

Hemorragias, úlceras e eczemas varicosos, flebi- tes e tromboses (em fases mais avançadas).

Nutrientes e plantas que podem ajudar

Castanheiro-da-índia, coenzima Q-10, vitaminas C e E, hibisco, romã, hortelã, cipestre, alecrim, alfazema, ruscus, gingko biloba, flavonoides, gilbardeira, hamamélia, meliloto, viburno, videira vermelha, gotu kola, entre outros.

As recomendações são do médico Pedro Lôbo do Vale, especialista em Medicina Geral e Familiar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.