Por variadíssimos motivos, os quais não conseguimos listar na totalidade, apenas referir alguns:

  • Porque já fizeram terapia… até mais do que uma vez;
  • Porque já ‘toda a gente’ sabe que a pessoa gagueja;
  • Porque já se conformou que ‘é assim’;
  • Porque não fez… mas deveria ter feito quando era mais jovem;
  • (...)

O que é Gaguez?

Gaguez é uma perturbação da comunicação que surge tipicamente na infância. A fluência do discurso é interrompida por: repetições de sons, palavras, frases; e/ou prolongamento de sons; e/ou bloqueios; e/ou pausas não programadas e expectáveis.

Para além destes comportamentos primários gaguez pode ter associado(s) comportamento(s) secundários, ou seja, movimento(s) do corpo enquanto a pessoa fala. Os números de incidência variam, é mais comum em crianças pequenas cerca de 5% das crianças entre os 2;06 e os 5 anos e aproximadamente 0,5% a 1% dos adultos.

A intervenção em terapia da fala com crianças e com adultos que gaguejam é distinta. A prática baseada na evidência (Blomgren, 2013) indica que a terapia com contingências verbais e/ou com o diminuir da complexidade linguística.

Adequar dos comportamentos e atitudes das pessoas que mais convivem com a criança é o mais adequado para esta faixa etária. No caso dos adultos a intervenção passa por reestruturação do discurso e pelo lidar com a falta de controlo e inconsistência da gaguez.

Se no caso das crianças o quadro conceptual passa em primeiro lugar por abordagens tendo em conta uma causa multifactorial. No caso dos adultos o foco tem de ser holístico – ver a pessoa como um todo - e assim a intervenção deve ter em conta não só na fluência do discurso, mas também o lidar com a variabilidade da gaguez e a ausência de controlo sob a forma como comunica.

Portanto vale a pena intervenção no adulto?

Sim, sem dúvida. Já em 1987 mais de cem estudos científicos indicavam uma eficácia da intervenção em terapia da fala de cerca de 80% (Bloodstein, 1987) desde então os indicadores têm vindo não só a manter-se como a progredir (Yairi & Seeri, 2011).

Assim sendo, sugiro conforme Scott (Stutteringhelp) que defina quais são os objetivos que quer alcançar e é fundamental que encontre o terapeuta mais adequado para si.

Quais são os seus objetivos?

  • Saber mais sobre gaguez;
  • Descobrir se há metodologias mais recentes;
  • Reduzir o numero de repetições;
  • Preparar-se especificamente para uma entrevista de trabalho, reunião;
  • Diminuir o nível de tensão que sente a nível da garganta e/ou barriga... quando fala;
  • Ser mais fluente;
  • (...)

E de modo a perceber se o terapeuta corresponde ao que pretende porque não entrevista o terapeuta:

Quão confortável este se sente em trabalhar com pessoas que gaguejam? Quais são os objetivos cruciais da intervenção com uma pessoa que gagueja? Que abordagens de intervenção terapêutica que costuma selecionar?

Por Jaqueline Carmona, Terapeuta da Fala

jaqueline.carmona@pin.com.pt

PIN 

Facebook PIN

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.