A diarreia é definida pelo aumento do volume e frequência das dejeções ou diminuição da consistência das fezes. Esta pode ser classificada como aguda, quando a duração é inferior a duas semanas, ou crónica, quando a duração é superior a quatro semanas. A definição estrita de diarreia não é consensual e cabe ao médico avaliar a sintomatologia apresentada.

Os antibióticos são medicamentos usados para combater infeções causadas por bactérias. Todos os medicamentos têm efeitos secundários e um dos mais frequentes é a diarreia que pode surgir durante o tratamento ou até dois meses após o final do tratamento.

No ser humano normal, o intestino está colonizado por bactérias de diferentes espécies, a maioria benéficas. Estas contribuem decisivamente para o equilíbrio biológico e para a saúde humana. Porém, ao combater as bactérias nocivas, a antibioterapia elimina também as bactérias benignas, levando a alterações do equilíbrio da microbiota intestinal, que é o conjunto de microorganismos que habita o intestino e que é indispensável ao seu correto funcionamento.

Ainda assim, algumas bactérias intestinais menos favoráveis podem prevalecer e, como consequência, pode ocorrer diarreia associada à antibioterapia. Devemos evitar os tratamentos com antibióticos por causa deste risco? Não.

Quando prescritos pelo seu médico especialista, os antibióticos são indispensáveis para evitar milhões de mortes precoces.

O que se pode fazer para reduzir o risco de ocorrência de diarreia associada aos antibióticos?

- Manter uma microbiota diversificada e saudável. Este é um trabalho de toda a vida e deve começar com a amamentação materna, passando por uma dieta diversificada e rica em legumes e frutas.

- A toma de antibióticos, podendo ser indispensável, deve ser criteriosa. Não devem ser tomados sem indicação médica, mesmo que se tenha em casa comprimidos que sobraram de uma doença anterior. Salvo algumas exceções, não se deve fazer antibioterapia como prevenção.

- Durante o tratamento pode ser útil tomar probióticos. Estes são microorganismos, bactérias ou fungos, que promovem a saúde interferindo na microbiota intestinal. Está provado que reduzem o risco de aparecimento da diarreia associada aos antibióticos. Contudo, nem todos os probióticos são adequados para todas as situações clínicas. Uma conversa com o médico assistente permite encontrar o probiótico adequado para si, para a sua doença e para o seu tratamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.