Nos países desenvolvidos, verificam-se, em média, entre três a seis novos pacientes com cancro testicular, por cada 100.000 homens, todos os anos. O número de novos pacientes aumenta todos os anos. Se os seus testículos não desceram para o escroto na infância (criptorquidia) ou se teve uma hérnia inguinal, tem uma probabilidade acrescida de 5 a 20% de vir a ter cancro testicular. Existem numerosos fatores de risco, mas atualmente ainda se está a investigar as suas influências.

Os estudos levados a cabo nos últimos anos têm incidido sobre a história clínica familiar, a puberdade antecipada, a idade da mãe no parto, o peso ao nascimento, a sujeição a fumo durante a gravidez e ainda a diversos tipos de radiação ao longo do período de crescimento. O cancro testicular é detetado inicialmente como uma pequena protuberância ou inchaço que pode sentir durante o autoexame dos testículos.

Nem todos os inchaços são cancerosos. Por isso, não entre em pânico e consulte o seu médico assim que possível. Deve estar especialmente atento aos seguintes sinais:

- Um aumento ou diminuição gradual ou súbita do tamanho dos testículos

- Uma protuberância dolorosa ou indolor ou inchaço de alguma zona dos testículos

- Uma sensação de peso no escroto

- Uma dor persistente na parte inferior do abdómen, da virilha ou do escroto

- Uma dor no abdómen ou nas costas

- Uma pressão das glândulas linfáticas na bexiga (pode mostrar sintomas de doença renal)

- Uma ginecomastia (crescimento mamário) no caso de tumores testiculares de hormonas ativas

A importância do autoexame dos testículos

Um tumor surge normalmente na parte frontal dos testículos. É aconselhável que examine os seus uma vez por mês no mesmo dia e à mesma hora. Deve escolher um local quente para que os seus testículos estejam relaxados. É melhor se fizer o autoexame depois de um duche ou um banho quente.

Deve sempre examinar um testículo de cada vez, para que o outro sirva de termo de comparação. Antes de mais, deve conhecer muito bem a estrutura dos seus testículos, sobretudo onde estão localizados os vasos, o epidídimo, o canal deferente. Assim será mais fácil detectar qualquer alteração.

Como examinar os seus testículos

1. Segure o escroto com as mãos, de modo a deixar o polegar e alguns dedos livres para conseguir tocar nas várias zonas dos testículos.

2. Examine cada testículo em separado. Faça-o gentilmente e de acordo com a seguinte ordem:

- Primeiro examine o epidídimo. Deve sentir um tecido suave e delicado na direção da parte de trás de cada testículo.

- Depois, o canal deferente estende-se do epidídimo até à uretra, localizado na parte de trás dos testículos. Deve sentir um tubo firme, muscular e liso.

- Finalmente, examine os testículos em si. Deverão ser suaves e sem inchaços ou protuberâncias. Um alto ou um inchaço pode frequentemente surgir na parte da frente dos testículos. Poderá sentir uma protuberância, com tamanho semelhante a uma ervilha, que não é necessariamente sinal de doença. Contudo, todos os altos nos testículos devem ser analisados, independentemente do tamanho ou do seu posicionamento.

3. Examine os dois testículos de forma semelhante.

Veja na página seguinte: O tratamento do cancro testicular

O tratamento do cancro testicular

O tratamento do cancro testicular é muito eficaz. Cerca de 90% dos homens conseguem curar-se. Pode iniciar o tratamento adequado depois do seu médico fazer o diagnóstico. Na maioria dos casos, os homens são sujeitos a uma intervenção cirúrgica, na qual o testículo é totalmente removido. Depois é administrado um tratamento adicional, na forma de quimioterapia. Mesmo se só tiver um testículo, é necessário proceder ao autoexame e a exames médicos regulares.

Há essa necessidade, uma vez que há uma grande probabilidade de reincidência do cancro testicular. Muitas vezes, o cancro testicular espalha-se para outras partes do corpo. Assim, é de suma importância que examine regularmente os seus testículos, para que consiga detetar atempadamente um cancro. Os tratamentos para outros tipos de cancro não são tão eficazes como o tratamento do cancro testicular. Não tenha medo de consultar o seu médico. Afinal, poderá estar a pôr a sua vida em risco.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.