Nesta altura, os dias são mais bonitos e, apesar das desilusões dos últimos tempos, invariavelmente quentes.

Mas se, durante as férias, o calor ajuda a descontrair, em casa pode tornar-se um verdadeiro obstáculo à rotina diária.

Se não for agora, com a temperatura a subir começará, mais dia menos dia, a sonhar com um oásis particular, um refúgio fresco onde poderá respirar de alívio ou... um aparelho de ar condicionado. A ideia é boa mas há cuidados a ter para garantir a qualidade do ar em casa e evitar dores de cabeça ou outro tipo de problemas.

Barreira positiva

Com o ar condicionado, no Verão, mantemos o calor do lado de fora da janela. No Inverno, é o frio que lá fica. E, em certas alturas do ano, ficam também os pólenes e os ácaros que causam alergias e problemas respiratórios. Além disso, o ar condicionado desumidifica o ar, o que contribui para que o bolor e os fungos não encontrem as condições ideais para se desenvolverem.

O facto de o ar ficar mais leve e puro faz com que pessoas com doenças do aparelho respiratório se sintam melhor em ambientes com ar condicionado, desde que a temperatura ambiente seja amena. Mudanças bruscas de temperatura são de evitar, pelo que deve ter cuidado quando deixa um ambiente interior muito fresco e passa, de repente, para uma temperatura elevada, no exterior.

Mitos e verdades

Algumas pessoas receiam que o ar condicionado em casa possa originar problemas de saúde como a síndrome do edifício doente, comum em edifícios de escritórios totalmente climatizados e causada pela falta de arejamento e deficiente manutenção do sistema.

O ar fica contaminado e pode provocar dores de cabeça, tonturas, congestão nasal, irritação das mucosas do globo ocular e da garganta, problemas cutâneos, letargia e dificuldades de concentração. Como alerta Carlos Lopes, pneumologista, «o desenvolvimento de fungos e bactérias nas tubagens, quando estas não são limpas, pode originar problemas graves de saúde, como a alveolite alérgica e a doença do legionário». A manutenção regular é, por isso, vital para que possa usufruir do ar condicionado sem riscos.

A aposta certa

Existem aparelhos com vários tipos de filtros de ar e diferentes níveis de eficiência. É aconselhável utilizar filtros com elevada capacidade de captação
de poeiras, pequenas partículas ou pólenes, pois também impedem a propagação de bactérias e vírus.

São um pouco mais caros, mas vantajosos. Considere-os um investimento a longo prazo. Depois, resta-lhe manter a qualidade do ar em sua casa. Para tal, deve arejar frequentemente todas as divisões, limpar com regularidade os filtros e efectuar a manutenção do aparelho, de acordo com as instruções do fornecedor.


Veja na página seguinte: Recomendações a ter em conta

Recomendações a ter em conta

Procure um aparelho que use gás refrigerante ecológico. Os aparelhos com elevada eficiência energética (classe A) são a opção mais ecológica.

Escolha a capacidade do aparelho de acordo com o espaço onde será instalado e verifique o nível de ruído que produz.

Prefira filtros com elevado poder de filtragem e limpe-os ou substitua-os
regularmente. E evite usar o ar condicionado a temperaturas muito elevadas ou baixas e com a ventilação no máximo. Gasta muita energia e é pouco eficaz.


Texto: Paula Alberty com Carlos Lopes (pneumologista)
Foto: Artur (com produção de Mónica Maia)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.