Destes, 72% acredita que a audição piorou com a idade, o que é normal, embora não deva levar as pessoas a resignarem-se e a isolarem-se. É preciso agir rápido para prevenir ou solucionar rapidamente essa possível perda antes que seja irrecuperável.

É fundamental estar atento a possíveis sintomas que indiquem perda de audição. Não entender determinadas palavras, a dificuldade para seguir uma conversa ou para ouvir rádio ou televisão são só alguns deles. E a chave é atuar rápido. Não o fazer, como assinalam os especialistas, pode piorar os problemas de audição e gerar consequências negativas, como um progressivo isolamento social, abandono ou mudanças de rotinas.

Numa sociedade cada vez mais envelhecida como a portuguesa, este é um problema de saúde pública.

Em Portugal há cerca de um milhão de pessoas com perda auditiva. Esta pode manifestar-ser em qualquer idade, com igual incidência em ambos os sexos. No entanto, a maior parte das pessoas vai, de facto, perdendo a audição de forma progressiva à medida que a idade vai avançando, o que explica a elevada ocorrência desta situação na população mais sénior. As últimas avaliações apontam para que 60% da população nacional, com mais de 65 anos, venha a sofrer desta complicação até 2015.

Apesar destes números, não são só os mais velhos que sofrem de perda auditiva. Em Portugal temos assistido a um crescimento do número de crianças com perda auditiva. Três em cada mil crianças nascem já com problemas auditivos, números que indicam a necessidade de um rastreio geral à nascença, ainda por implementar na maioria dos hospitais portugueses.

É preciso que estes temas sejam debatidos para que seja criada uma maior prevenção por parte das famílias e dos hospitais. É fundamental que as pessoas estejam mais alerta para a perda auditiva infantil.

Por outro lado, a exposição constante a fortes ruídos e o desgaste natural do ouvido são os principais fatores na base do elevado número de pessoas que sofrem de perda auditiva cada vez mais cedo. Felizmente, graças à evolução tecnológica, 90% dos casos de perda auditiva têm, hoje em dia, uma solução simples.

É importante controlar a saúde auditiva para minimizar os riscos. Recomendamos algumas medidas de prevenção: reduzir o número de aparelhos sonoros a funcionar ao mesmo tempo, não ouvir música com auriculares durante mais de uma hora por dia e manter o volume abaixo dos 60%.

Devemos ainda utilizar proteção auditiva quando em contacto com equipamentos ruidosos, ter especial cuidado com os ouvidos em caso de constipações, gripes ou infeções, usar tampões e limpar e secar os ouvidos depois do banho e na piscina, mas não com cotonetes! No caso de ser detetado algum atraso na aprendizagem ou na fala das crianças, devem ser realizados exames e consultado o médico especialista quando notada qualquer afeção nos ouvidos.

É essencial reter e compreender que já não é necessário viver com perda auditiva! Hoje em dia existem diversos aparelhos auditivos com tecnologia avançada e praticamente invisíveis, que ajudam a recuperar a sua audição de forma simples.

O essencial é que, assim que notar que algo não está bem, deve procurar ajuda especializada.

Por Dulce Martins Paiva, diretora geral da GAES – Centros Auditivos em Portugal

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.