Em Portugal e na maioria dos países desenvolvidos, os maus hábitos alimentares são um grande problema. De acordo com um estudo publicado pela PLOS One sobre a prevalência de sobrepeso, obesidade e obesidade abdominal, no final de 2012, 66% dos homens adultos e 57% das mulheres adultas em Portugal têm excesso de peso, sendo que 19% dos homens e 39% das mulheres são já considerados obesos.

Em Portugal, uma em cada três crianças tem excesso de peso ou obesidade infantil. O excesso de peso, maioritariamente provocado por uma alimentação desajustada e falta de prática desportiva, leva ao surgimento de outros problemas, como as doenças cardiovasculares e a diabetes tipo 2.

A prevalência da diabetes em Portugal tem vindo a aumentar, atingindo 12,7% da população, sendo que cerca de 90% destes casos referem-se a diabetes tipo 2, segundo o Relatório do Observatório Nacional da Diabetes de 2012. Ao contrário da diabetes tipo 1, que se trata de uma condição auto-imune e não prevenível, a diabetes tipo 2 pode ser prevenida, ou podemos pelo menos atrasar o seu aparecimento.

Controlo de peso e atividades desportivas

Nesta fase de prevenção primária, procura-se fazer um controlo do peso, sobretudo em pessoas com risco elevado de desenvolver este tipo de diabetes (historial de diabetes tipo 2 na família, excesso de peso, etc.), e promover hábitos desportivos regulares. A Associação de Jovens Diabéticos de Portual (AJDP) promove regularmente ações desportivas e de esclarecimento junto da população escolar, precisamente para contribuir para a prevenção primária.

Após o diagnóstico da diabetes, seja tipo 1 ou tipo 2, parte-se para uma fase de prevenção secundária. O objetivo passa a ser manter a glicemia dentro dos parâmetros normais, para evitar as complicações que surgem quando há descontrolo. Aliada à prática de exercício físico e à medicação, uma alimentação equilibrada é um ponto chave.

Não se trata de uma dieta regrada, com foco no que não se pode comer, mas sim um regime alimentar igual ao que qualquer outra pessoa deveria praticar. Sobretudo em jovens com diabetes tipo 1, a imposição de alimentos proibidos é muitas vezes contraproducente, devendo-se apostar numa educação alimentar que permita à pessoa com diabetes tomar as suas próprias decisões. Também aqui é importante manter um peso saudável e monitorizar parâmetros como o colesterol e a tensão arterial.

Porque não aproveitar este dia para melhorarmos os nossos hábitos alimentares? Comer mais fruta, comer menos alimentos processados, praticar exercício físico em família, encontrar a actividade física que gostamos ou pensar nas nossas escolhas alimentares, são pequenas mudanças que vão permitir melhorar a nossa saúde e a nossa qualidade de vida.

Por Carlos Neves, presidente da Associação de Jovens Diabéticos de Portugal

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.