Os nutrientes naturalmente presentes na laranja, um fruto rico em vitamina B3, B5, C, E e K, betacaroteno, ácido fólico, cálcio, iodo e ferro, ajudam a combater infeções e a queimar gorduras. Além de  magnésio, fósforo, potássio e selénio, este citrino fornece ainda ácido cítrico, uma substância que auxilia o organismo a absorver o cálcio armazenado nas células gordas.

Como tem vitamina C em grande quantidade, contribui para uma redução das dores musculares após a prática de exercício físico, pelo que é recomendada a toma de um copo de sumo de laranja natural depois de qualquer atividade desportiva mais exigente. Este alimento também contém hesperidina, um antioxidante que protege o coração e diminui o colesterol e a gordura no sangue.

A laranjeira, a árvore que dá este fruto, é tão comum que quase dispensa descrições. É uma árvore de pequeno a médio porte, folha perene e flores de um aroma extremamente doce e delicado, direi mesmo que é uma das minhas favoritas. É da família das Rutáceas e existem muitas espécies. As mais comuns são a laranja amarga ou laranja de Sevilha (Citrus aurantium L) e a laranja doce (Citrus sinensis L).

Esta última também é conhecida por laranja portuguesa por terem sido os portugueses a trazerem-na para a Europa e a levá-la para o continente americano. Medicinalmente, utilizam-se as flores, as folhas, a casca, o fruto e também, nalguns casos, o extrato das sementes deste fruto.

História

A laranja é originária do sudeste asiático. A espécie Sinensis ou laranja doce julga-se ter origem na China perto da fronteira com o Vietname. Alguns historiadores acreditam que a laranja amarga seja originária da Índia. O primeiro grande livro de medicina chinesa datado de há cerca de 2000 anos já mencionava os poderes curativos da casca e do pericárpo da laranja. O médico árabe Avicena, no século X, também já utilizava a laranja como planta medicinal.

Na realidade, a laranja é um fruto híbrido resultante do cruzamento entre um pomelo (Citrus x paradisi) e uma tangerina (Citrus reticulata). A laranja amarga( Citrus aurantium) foi a primeira a ser conhecida pelos europeus, trazida da Ásia pelos comerciantes árabes. As primeiras laranjas que chegaram ao Reino Unido foram levadas num barco espanhol em 1290 e a primeira larangeira doce plantada na Europa no séc XV foi trazida pelos navegadores portugueses.

Mais tarde, foi levada também para o Brasil, que é hoje um dos maiores produtores de laranjas para exportação e confeção de sumos, doces, marmeladas, óleos essenciais e perfumes, entre outros. Outros grandes produtores de laranjas são os EUA, a China, a Espanha, o México, Marrocos, a África do Sul e Israel. A laranja doce (Citrus sinensis) é um dos frutos mais cultivados no mundo inteiro, apenas ultrapassada pela banana e a maçã.

Veja na página seguinte: As doenças que a laranja ajuda a prevenir

Propriedades e constituintes

A laranja é uma das melhores fontes de vitamina C que nos ajuda a combater as gripes e a manter o nosso sistema imunitário em boa forma. Além de muita vitamina C, a laranja contém ainda vitamina E, ácido cítrico, tartárico e málico, sais minerais e potássio em particular. Possui cerca de 11% de açúcar diretamente assimilável pelo sangue sob a forma de glicose, frutose e levulose. A laranja fluidifica o sangue.

Os bioflavonoides que contém atuam como bons protetores vasculares contra a formação de coágulos. É um fruto anti-oxidante. Ajuda a combater infeções e neutraliza as toxinas do álcool, dos peixes e dos crustáceos. Conhecidamente anti-escorbútica, tal como o limão, era muito utilizada pelos marinheiros para combater essa doença que dizimava às centenas e era essencialmente devida à carência de vitamina C nas longas travessias marítimas.

É ainda indicada em casos de hipertensão, vertigens, hemorroides e como complemento em dietas de emagrecimento. O seu sumo pode ser indicado em casos de avitaminoses infantis, desmineralização. Segundo a medicina ayurvédica, a laranja madura é indicada para combater a tosse, falta de ar, vertigens e hipertensão.

O pericarpo deste fruto contém cerca de 0,5% de óleos essenciais, nomeadamente 80 a 90% de de limoneno, aldeídos e linalol, cumarina, flavonóides (alguns amargos) e pectinas. As folhas contêm cerca de 0,15% de óleos essenciais, heterósidos flavónicos, constituintes amargos e taninos. As flores contém cerca de 0,15% de óleos essenciais.

Limoneno, linalol, nerol, antranilato de metilo, antocianinas, flavonoides e glúcidos são outros dos seus constituintes. As flores em chá são muito utilizdas para combater estados de ansiedade e insónias, espasmos gastrointestinais, falta de apetite e vómitos. A casca da laranja seca é recomendada em casos de dispepsia, tosse, constipações, anorexia, excesso de gases, dores toráxicas, antissética e convalescença gripal.

Contraindicações

A laranja não é recomendada em casos de existência de úlceras, gastrites e colites, não deve ser misturada com alimentos farináceos nem com legumes. Evite o sumo de laranja à noite ao deitar pois, já diz o ditado, laranja de manhã é prata, à tarde ouro e à noite mata. Não nos devemos expor ao sol após aplicação do óleo essencial do pericarpo, pois pode produzir fenómenos de fotossensibilização.

Na culinária

A laranja tem um sem número de utilidades, combina muito bem com vários pratos de carne de porco, pato, veado, vaca e também peixe. Muito utilizada em sobremesas como pudins, gelados e chocolate. Os ingleses são grandes apreciadores da compota (marmelade) que é feita a partir da casca da laranja amarga. O mel de flor de laranjeira é de um verdadeiro requinte para os bons apreciadores de mel. O sabor tão apreciado do chá inglês Earl Grey, deve-se ao óleo de bergamota extraído da casca destas variedade de laranjas (Citrus bergamica).

Veja na página seguinte: A laranja na cosmética

Na cosmética

Os óleos essenciais obtidos a partir das diferente partes da laranjeira são muito utilizados em cosmética, sendo o mais caro e requintado o óleo de neroli extraído das flores de uma sub-espécie de laranjeira, a (Citrus aurantium var.amara). Este óleo é muito utilizado em alta perfumaria misturado com outras fragrâncias cítricas (incluindo a bergamota) e como fixante de aromas. Fabrica-se também a água de flor de larangeira, muito refrescante para a pele mas também usada em culinária nos países do Norte de África.

O petigrain é outro óleo muito utilizado em aromaterapia e extraído da folha de uma outra sub-espécie da laranjeira amarga, muito comum no fabrico de água de colónia. Com a casca, as flores e folhas e seus derivados, produzem-se ainda sabonetes, cremes de beleza e também produtos de limpeza.

Na horta

Nenhum perfume de outra árvore frutífera se pode comparar à flor da laranjeira. As laranjeiras são uma árvore subtropical e dá-se bem em zonas com grandes variações climatéricas mas não demasiado frias, gosta de uma boa rega terreno relativamente fértil e infelizmente é bastante propensa ao ataque de várias doenças.

Curiosidades

A cor verdadeira das laranjas maduras nos seus países de origem de temperaturas mais elevadas não são cor de laranja mas sim esverdeadas. A cor amarelada acontece nos climas mais frios devido à formação do pigmento caroteno, por isso é prática comum entre os produtores de laranjas, pulverizá-las com a hormona de amadurecimento etileno para obterem assim laranjas mais amarelas, vistosas e vendáveis.

Texto: Fernanda Botelho com Luis Batista Gonçalves (edição)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.