Poucos meses antes da chegada do Verão, algumas pessoas recorrem a dietas supostamente milagrosas ou demasiado rápidas que, a médio prazo, podem ser  uma verdadeira decepção.

A questão é que «a gestão de peso não passa pela realização de uma dieta mas pelo equilíbrio de vários factores», defende Teresa Branco, fisiologista na gestão do peso.

Quando as pessoas vivem vidas demasiado ansiosas e stressantes não conseguem cumprir planos alimentares mesmo sabendo que isso as conduziria ao peso desejado», acrescenta ainda a especialista.

São esses desequilíbrios de ordem hormonal, fisiológica ou comportamental que  levam a que as pessoas tenham dificuldade em controlar a fome. O segredo passa por «adaptar uma determinada dieta às necessidades de cada um. Usualmente, o excesso de peso é multifactorial e é no aconselhamento a todos os níveis que se insere o emagrecimento inteligente», reforça a especialista.

Positivismo, um sorriso e uma dieta realista podem trazer benefícios inimagináveis. Com bom senso e sem expectativas exageradas. «Usualmente as abordagens milagrosas  oferecem menos possibilidade de manutenção do peso. Muitas vezes, os produtos aconselhado, embora de baixo valor calórico, não poderão ser ingeridos para o resto da vida e as  medicações prescritas também não», alerta Teresa Branco.

As perdas de peso demasiado rápidas podem mesmo originar diminuição de massa muscular, desidratação e défices nutricionais. Segundo a especialista, existe apenas um medicamento não sujeito a receita médica que ajuda a perder peso: o orlistasto 60 mg, aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos.

À custa de se querer um corpo mais belo, não se pode colocar em risco o estado de saúde geral. «Usualmente, peço aos meus pacientes que enumerem as vantagens que terão face à perda de peso e que benefícios irão atingir», revela Teresa Branco. A ideia é saber como é que a perda de peso os tornará mais felizes.

Passo a passo

É fundamental que a perda de peso seja sustentada e também inclua actividade física. Por outro lado, há que ter a noção que, para manter o peso, não se deve recorrer às mesmas estratégias utilizadas quando se quis perder uns quilos. Estas «deverão ser adaptadas a uma manutenção do peso», sublinha Teresa Branco. Sem stress e sem ansiedade porque «o controlo hormonal e emocional contribui grandemente para o equilíbrio desejado na manutenção do peso», garante Teresa Branco.

Acima de tudo, há que aprender a comer. Esta é também a principal mensagem  da médica espanhola Pilar Riobó Serván, autora do livro A Dieta Inteligente, que explica como se pode fazer uma dieta equilibrada sem se privar de nada. Nas consultas desta especialista em Endocrinologia e Nutrição, os pacientes não saem do consultório com uma lista de alimentos proibidos e permitidos. «Se lhes apetece comer chocolate, podem fazê-lo mas devem evitar o seu consumo todos os dias», explica-nos na sua recente visita a Portugal.

Defensora de que «podemos comer de tudo um pouco de acordo com as nossas necessidades calóricas reais», o grande objectivo do seu livro e da sua prática clínica é fazer com que as pessoas aumentem os seus conhecimentos nutricionais e os apliquem no dia-a-dia. Sem sacrificar as sobremesas tão apetecidas em momentos especiais.

É fundamental, para Pilar Riobó Serván, planificar e escolher os alimentos de forma a integrá-los em cinco refeições diárias. Nem mais nem menos.

«O organismo vai metabolizando a alimentação fraccionada. Não se deve fazer cinco refeições hoje, seis amanhã e oito no dia seguinte. Há que criar uma rotina diária», sublinha.

Segundo a especialista, «basta levantar-se dez minutos antes para programar o dia e começá-lo sempre com um bom
pequeno-almoço»,  acrescenta.

Para além disso, os momentos das refeições devem ser partilhados em família para que os mais pequenos comecem a interiorizar as regras  alimentares desde cedo. «É importante que as crianças se sentem à mesa com os pais», defende Pilar Riobó. Por outro lado, nas refeições familiares, é importante que as crianças percebam que a mãe (ou o pai) cozinha para eles e as convida a participar na  confecção das mesmas, na escolha dos produtos.

As falsas expectativas

A perda de peso tem de ser gradual. «Não é possível perder 30 quilos de um dia para o outro mas sim ir perdendo três quilos de cada vez. Deixar de fumar é também essencial, bem como a prática de actividade física em família», alerta a endocrinologista.

Se sonha com uma perda de peso muito significativa, saiba que pode ver comprometidos os resultados esperados. «Há quem tenha 100 kg de peso e sonhe com 50 kg e existem outras pessoas que apenas sonham com 70 kg. Eu diria que para uma pessoa que pesa 100 kg perder 50% do seu peso não é só uma tarefa difícil como é quase impossível manter esses 50 kg», acrescenta Teresa Branco. Por outro lado, uma perda de peso de apenas 5% do peso total já pode representar grandes benefícios em termos de saúde.

4 factos em que (provavelmente) nunca pensou:

1. Uma bola de Berlim equivale a um prato de lentilhas.

2. Comer dois quivis, uma laranja e uma maçã é o mesmo que comer duas madalenas.

3. Um croissant equivale a comer um prato de massa com tomate e queijo ralado.

4. Cinco bolachas duplas de chocolate são equivalentes a um bife grelhado com uma salada mista.

No seu livro, Pilar Riobó Serván dá-lhe a conhecer a chave para obter um peso saudável. Conheça as 10 regras de ouro:

1. Beba, no mínimo, dois litros de água por dia. Pode consumir livremente infusões sem açúcar e, de vez em quando, refrescos light.

2. Restrinja ao máximo o consumo de sal. O sal não engorda porque não tem calorias mas favorece a hipertensão arterial.

3. Substitua os lacticínios gordos por magros. Evite comer pudim flan, leite-creme, queijos gordos ou curados.

4. Reparta a sua alimentação por cinco refeições diárias. Seja regular nos seus horários. Coma devagar, mastigue bem e não petisque fora das refeições. Muito comum, este hábito é altamente prejudicial para quem pretende perder peso.

5. Restrinja ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas, incluindo cocktails com sumo de fruta. O álcool tem muitas calorias, o que não ajuda a perder peso, ainda que se tenha uma dieta muito restritiva.

6. Limite o consumo de azeite na preparação dos alimentos. Apesar de ter muitas propriedades benéficas, o azeite é também um alimento rico em calorias. Se quer perder peso, a quantidade ideal a ingerir será de duas a três colheres de azeite por dia.

7. Evite os pratos que contenham muita gordura. Por exemplo, fritos e guisados. Pelo contrário, prefira formas de cozinhar mais saudáveis como os grelhados, ao vapor, no forno, cozidos, assados.

8. Complemente a sua dieta com exercício físico. As actividades escolhidas  devem ser adequadas à idade e à condição física de cada pessoa. Caminhar durante uma hora por dia pode ser suficiente.

9. Substitua o açúcar por adoçantes. Deve evitar consumir açúcar, mel e todos os alimentos que os contenham, como as geleias e os caramelos.

10. Deve ingerir preferencialmente peixe, carnes magras (frango, peru) e o menos possível carnes vermelhas.

Texto: Cláudia Pinto com Pilar Riobó Serván (médica especialista em  endocrinologia e nutrição) e Teresa Branco (fisiologista na gestão do peso na clínica Metabólica)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.