Para que uma criança fique com o corpo adequado os pais devem fazer do processo alimentar uma experiência positiva, recompensadora e importante.

A forma como se alimenta uma criança é mais importante do que o que ela come. O que ela come é importante para uma boa saúde, mas os problemas da obesidade infantil são do foro comportamental, e estes não se resolvem com comida.

Há certas regras de ouro da divisão das responsabilidades alimentares que devem ser respeitadas para não haver guerras familiares:

Aos pais compete decidir: o quê? | >onde? | o quando (para crianças a partir do ano de idade até à adolescência)

À criança e ao adolescente compete decidir: a quantidade, e se alguma.

Se os pais não confiarem na capacidade de regulação dos seus filhos, e interferirem na sua alimentação, as refeições tornar-se-ão um campo de
batalha e o peso deles não irá melhorar, antes pelo contrário.

Fazer das refeições em família uma prioridade só tem vantagens, nomeadamente nutricionais.

Porque são as refeições em família tão importantes especialmente para as crianças?

1- Porque proporcionam estrutura e previsibilidade:

Refeições regulares ajudam a regular o peso das crianças. Petiscar pode incluir mais calorias do que elas precisam e pode contribuir para o excesso de peso ou o inverso.

2- Fazem duma casa um lar e uma família.

3- Proporcionam apoio emocional e social:
Pais e filhos gostam de se sentir ligados entre si. Não estrague o ambiente familiar sendo demasiadamente controlador do que eles comem e quanto comem!

4- Servem de elo à nossa história:
As nossas tradições são mantidas e histórias são contadas à mesa; as crianças aprendem dos pais a ter uma atitude de gratidão e respeito para com a comida.

5-Asseguram melhor alimentação às crianças:
Se não houver previsibilidade de refeições ou houver restrição alimentar imposta pelos pais, as crianças comerão tanto quanto puderem assim que vejam comida, pois o medo de ficarem com fome precede qualquer sinal interior regulador da fome e saciedade.

6- Aprendem boas maneiras e bom comportamento:

As refeições em família são uma parte fundamental da socialização e ajuda as crianças a comerem melhor, a terem mais auto-estima e a sentirem-se orgulhosas de si mesmas. Uma criança competente à mesa sabe melhor sentir quanta comida precisa e conseguirá, intuitivamente, regular a comida de acordo com a fome e saciedade.

7-
Aprendem a gostar de novos e variados alimentos:
Visto que as crianças querem imitar os pais e agradar, elas querem também comer o que os pais comem. Por isso, não devem ser elas quem escolhe o menu lá de casa, pois são muito limitadas nos seus gostos! Elas têm um gosto totalmente errático; não espere consistência alguma. Mas não interfira enfiando comida pela boca a dentro, nem pressione a provar alimentos novos, pois só irão associar maus sentimentos ao processo alimentar.

Enfim, tudo se resume ao amor, apoio e proximidade. Sem refeições à mesa em família, uma casa é só um local onde se vive! Boas refeições!

Texto da autoria da Nutricionista Dra. Madalena van Zeller Muñoz
www.madalenamunoz.com

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.