Estima-se que os maus hábitos alimentares estejam na base de cerca de 20% das causas de desenvolvimento de cancro. Estudos demonstram que o consumo excessivo de carne vermelha, carnes processadas, gordura e sal, aumenta o risco de desenvolvimento de alguns tipos de cancro. 

Segundo a American Cancer Society, uma dieta não ajustada e o sedentarismo são dois fatores chave para o aumento do risco de ste tipo de doenças. Pelo contrário, uma dieta equilibrada, completa e variada, parece constituir um fator protetor.

Durante os tratamentos oncológicos

Durante os períodos de tratamento oncológico, uma alimentação adequada pode melhorar a sensação de bem-estar, ajudar a manter a força e energia, controlar o peso e os seus reservatórios corporais de nutrientes, bem como contribuir para uma maior tolerância aos efeitos dos tratamentos e diminuir o risco de infeções.

Os efeitos secundários dos tratamentos, particularmente da quimioterapia, podem afetar a ingestão alimentar. Os efeitos adversos mais comuns, com um impacto negativo no estado nutricional incluem: falta de apetite, alterações do olfato e paladar, náuseas e vómitos, feridas na boca, obstipação ou diarreia, entre outros.

A intervenção nutricional nestes doentes tem um papel fundamental na prevenção/reversão da desnutrição. Embora esta intervenção deva ser sempre individualizada, seguem algumas estratégias chave para alguns dos efeitos adversos mais comuns, caso-a-caso.

Náuseas e vómitos

- Coma e beba devagar e mastigue bem os alimentos;

- Realize refeições de menor volume e mais frequentes ao longo do dia, evitando refeições abundantes que podem aumentar a sensação de enfartamento e/ou desconforto abdominal;

- Realize as suas refeições num ambiente agradável, descontraído e sem odores intensos;

- Prefira os alimentos frescos ou à temperatura ambiente;

- Evite alimentos condimentados e com molhos;

- Evite alimentos fritos, ricos em gordura, muito doces, salgados ou com odor muito forte;

- Dê preferência a alimentos secos como: bolachas, torradas, tostas, cereais, bolos sem recheio;

- Ingira líquidos durante o dia em pequenas quantidades e intervalos regulares.

Diarreia

- Hidrate-se! Mesmo que não sinta sede deve ingerir líquidos. Ingira cerca de 8 a 10 copos de água (1,5L a 2L) por dia;

- Evite consumir frutos crus e com casca. Prefira os frutos cozidos ou assados sem casca ou banana;

- Evite os vegetais crus, legumes verdes e leguminosas. Consuma preferencialmente sopas simples com cenoura, abóbora, courgette sem casca e nabo;

- Opte por pão branco (fresco ou torrado), bolacha Maria ou torrada ou água e sal e tostas de trigo. Evite os cereais de trigo, centeio ou integrais. Prefira os cereais de milho ou arroz;

- Opte por leite sem lactose;

- Prefira confeções pobres em gordura como grelhados, cozidos, assados e estufados sem gordura;

- Prefira as carnes magras como frango, peru, vitela e retire toda a gordura visível.

Obstipação

- Ingira cerca de 8 a 10 copos (1,5L a 2L) por dia de água;

- Prefira cereais integrais em vez dos refinados;

- Consuma cerca de 3 a 5 porções de fruta por dia. Opte por frutas ricas em fibra, como kiwi, manga, papaia, ananás, ameixa e laranja;

- Inclua sempre à refeição vegetais ou legumes sob a forma de sopas, saladas cruas e/ou legumes cozinhados como acompanhamento no prato;

- Experimente a ingestão de sementes (linhaça, sésamo...). Pode adicionar uma a duas colheres de sopa de sementes, por exemplo, a saladas, iogurtes, sopas;

- Inclua na sua dieta frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelã, cajus), que pode adicionar a saladas, iogurtes, sopas ou como parte de um lanche.

Alterações do paladar e olfato

- Prefira alimentos que tenham uma aparência e aroma do seu agrado, de preferência frios (frutos, gelatinas, mousses, iogurtes, batidos, sorvetes) ou à temperatura ambiente;

- Utilize alimentos aromatizados para estimular o apetite (por exemplo, água com aromas), mas evite que os aromas que lhe causem aversão;

- Tenha sempre consigo uma garrafa de água e ingira frequentemente pequenos goles;

- Se sentir que a água tem um sabor alterado, aromatize-a por exemplo, com hortelã, canela ou casca de laranja/ limão. Ficará com um sabor mais agradável e refrescante.

Por Ana Rita Lopes, Dietista da Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Lisboa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.