Mais de 2.000 diabéticos participam hoje no V Fórum Nacional da Diabetes, em Santarém, que este ano decorre sob o lema da prevenção, já que os hábitos de vida atuais são determinantes no aparecimento da diabetes de tipo 2.

“Está perfeitamente identificado que os maus hábitos de vida atuais têm uma preponderância muito grande na causa da doença, porque as curvas de crescimento da obesidade no Mundo são rigorosamente paralelas ao crescimento do número de casos de diabetes”, disse à agência Lusa o presidente do Sociedade Portuguesa de Diabetologia (SPD).

Luís Medina explicou que o Fórum, que decorre no Centro Nacional de Exposições, tem como lema “mais vale prevenir do que remediar”, dada a importância da consciencialização para a aquisição de hábitos de vida saudáveis.

O alerta para a adoção desses hábitos – que vão dos cuidados com a alimentação ao exercício físico e à necessidade de não fumar nem beber em excesso – vai dominar os trabalhos do fórum, que vão permitir não apenas o convívio entre doentes e familiares como também o contacto com médicos, psicólogos, enfermeiros e nutricionistas, disse.

O fórum começa com uma palestra sobre o plano de ação das Nações Unidas para combater a doença a nível mundial, pelo coordenador do Programa Nacional de Prevenção e Controlo da Diabetes, José Manuel Boavida.

Ao longo do dia estarão em análise temáticas relacionadas com os principais riscos de desenvolver diabetes, desde a má nutrição, à inatividade física, ao álcool, ao tabaco, mas também um debate sobre a importância das associações de pessoas com diabetes na prevenção.

O chefe de cozinha Hélio Loureiro fará uma sessão para ajudar a confecionar pratos saudáveis, terminando o encontro com uma mega sessão de exercício físico, no âmbito do programa “caminhar para o equilíbrio”.

O evento será ainda aproveitado para encerrar a iniciativa da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) “Vamos dar a volta à diabetes”, uma unidade móvel de saúde que passou já pelas cidades de Lisboa, Leiria, Viseu, Porto e Évora.

Luís Medina afirmou que, além de procurar travar o crescimento do aparecimento da doença, que, frisou, “causa muito sofrimento”, o enfoque na prevenção é também importante para os que, já tendo a doença, devem evitar comportamentos que têm “uma ação nefasta sobre a própria diabetes”.

O presidente da SPD sublinhou a importância da atividade física regular, evitando “o mais possível a vida sedentária” que caracteriza a sociedade atual, recomendando caminhadas (não passeios) diárias de 15 a 30 minutos.

Por outro lado, alertou para o excesso de peso, sobretudo para a obesidade abdominal, “mais intimamente relacionada com a resistência à insulina”.

Luís Medina referiu que dos 980 mil diabéticos identificados em Portugal, 430 mil não sabiam que tinham a doença porque “não valorizaram o facto de serem portadores de fatores de risco”, nomeadamente, ser filho de diabéticos, excesso de peso, vida sedentária, hipertensão arterial, colesterol alto e doenças cardiovasculares.

O fórum é organizado em parceria pela SPD, APDP, Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo e Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral.

19 de novembro de 2011

@Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.