“A política que tem sido feita de não financiamento do Serviço Nacional de Saúde e todas as políticas que têm sido tomadas nos últimos anos, principalmente desde 2007, com o fecho dos SAP, tem levado a situações de problemas no funcionamento do hospital, seja a nível das urgências, seja de outros serviços”, advertiu José Lourenço.

O responsável da Comissão de Utentes da Saúde do Conselho do Seixal realizou hoje uma conferência de imprensa à porta do Hospital Garcia de Orta, em Almada, no distrito de Setúbal, com o objetivo de alertar para a falta de pediatras nesta unidade, que faz com que a urgência desta especialidade “esteja em risco de fechar a partir de dia 13 de abril”.

Por este motivo, na visão de José Lourenço, “é urgente a reabertura dos SAP”, para que a população “não seja obrigada a partir das 20:00 a dirigir-se à urgência do hospital”, visto que nesse período os centros de saúde já se encontram encerrados.

A administração do Garcia de Orta garantiu hoje que a urgência pediátrica não irá encerrar, que o serviço tem a qualidade assegurada e que já estão a ser contratados novos médicos, mas para os utentes, é preciso “mais investimento” no concelho, para que o hospital não fique sobrecarregado.

Neste sentido, José Lourenço lembrou a importância da construção de um centro de saúde em Corroios e do Hospital do Seixal, que tem sido “constantemente adiada”.

Também o presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM), João Proença, se mostrou solidário com a comissão de utentes, defendendo a reabertura dos SAP.

“Os SAP não estão abertos por decisão política, económica e financeira e isso é uma coisa que se tem de resolver. Têm de abrir os SAP 24 horas, para que as pessoas sejam dirigidas dos centros de saúde para as urgências dos hospitais diferenciados e não ao contrário”, frisou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.