Inicialmente, Portugal tinha disponibilizado 603 camas em hospitais do Serviço Nacional de Saúde, das quais 495 em enfermaria e 108 camas em unidades de cuidados intensivos para receber os doentes ucranianos, ao abrigo do Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

Das 745 camas agora disponíveis, que incluem 12 camas pediátricas de oncologia, a grande maioria (625) são em enfermaria e as restantes em unidades de cuidados intensivos, referem os dados do Ministério da Saúde.

Na quinta-feira, Portugal acolheu a primeira doente ucraniana transferida ao abrigo do mecanismo europeu, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo a DGS, a refugiada ucraniana, com doença oncológica, foi transferida a pedido das autoridades de saúde moldavas para tratamento médico em Portugal, através do sistema CECIS, coordenado pelo Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

“Desde o início do conflito que Portugal tem feito ofertas sucessivas a solicitações da Polónia, Moldova, Ucrânia e Eslováquia para evacuação de doentes ucranianos utilizando o mecanismo europeu apropriado, sendo que a maioria dos doentes tem aceitado ofertas para tratamentos em países com proximidade à Ucrânia, nomeadamente a Alemanha”, adianta a DGS.

Neste momento, acrescenta, está também em curso o processo de transferência de doentes oncológicos pediátricos da Polónia para Portugal, ao abrigo do Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.