10 de março de 2014 - 11h10
Sete médicos foram apanhados pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) a trabalhar em vários hospitais públicos à mesma hora, depois de uma ação inspetiva desta entidade em outubro do ano passado.
Além dos casos de sobreposição de horários, com clínicos a entrarem numa unidade antes de terem saída da outra, há também casos de prescrições de exames no Alentejo quando o médico estaria de serviço em Lisboa. A notícia é avançada pelo Diário de Notícias.
A autoridade detetou pelo menos sete casos de sobreposição de horários e vários casos duvidosos, como o de um médico que demorou 26 minutos a percorreu 144km entre duas unidades hospitalares.
Segundo referido jornal, a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) avançou com processos disciplinares aos médicos e um inquérito a verbas pagas indevidamente, como ajudas de custo de 117 mil euros em apenas sete meses.
Os casos foram detetados no litoral alentejano e envolvem médicos que trabalhavam no Algarve, Lisboa e Setúbal.
SAPO Saúde

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.