A pandemia da COVID-19 e a importância de cumprir com o distanciamento social levou ao crescimento da prática de atividades ao ar livre, particularmente nas montanhas e serras.

Para alertar para a importância de adotar comportamentos adequados, a campanha “Olhe pelas suas costas” reforça a mensagem de que prevenir é o melhor tratamento e a preparação e conhecimento são fundamentais para evitar lesões na coluna.

“Aproveitar o tempo em família e com os amigos ao ar livre é importante, mas não devemos descurar a saúde das nossas costas. Apesar de as atividades ao ar livre parecerem inofensivas, há vários hábitos que podem fazer mal à coluna e até provocar lesões graves. E, nestas situações, muitas das vítimas são ainda jovens o que leva a implicações sociais, económicas e familiares significativas, se atendermos que em cerca de 20% dos casos ocorrem lesões graves, incapacitantes e irreversíveis” menciona Bruno Santiago, neurocirurgião e coordenador da campanha nacional “Olhe pelas suas costas”.

Bruno Santiago reforça ainda que “esquecer os músculos da coluna pode ter consequências graves, por isso é importante abandonar comportamentos incorretos e evitar imprevistos. Por exemplo, as quedas na prática de exercícios sem os cuidados adequados ou devido a terreno íngreme pode originar fraturas na coluna vertebral.”

Como o segredo para evitar problemas de coluna com as atividades ao ar livre está na adoção de medidas preventivas, a coordenação da campanha “Olhe pelas suas costas” partilha quatro aspetos a ter em conta:

1. Os mergulhos não são só feitos de diversão, meça o risco

Os mergulhos podem ser perigosos e provocar lesões irreversíveis na coluna vertebral. As lesões na coluna derivadas de mergulhos ocorrem geralmente quando a cabeça bate no solo ou numa rocha. Além da baixa profundidade do local ou dos comportamentos de risco, estes acidentes podem estar relacionados com uma postura incorreta durante a execução do mergulho;

2. Se pratica montanhismo, cuidado com as quedas

As atividades de montanhismo, devido ao terreno íngreme, podem ser perigosas e, à semelhança dos mergulhos, é preciso ser cauteloso. As quedas podem resultar em fraturas da coluna vertebral e as contraturas resultantes de movimentos súbitos ou em esforço, são causa de desconforto e lombalgias;

3. Caminhadas só com calçado adequado!

O mau suporte do pé pela aumenta o risco de lesões. Nas caminhadas evite calçar chinelos e sandálias rasas, pois este calçado não fornece apoio suficiente nem à coluna, nem aos pés. O ideal será realizar caminhadas com calçado que tenha até dois centímetros de altura na sola e proteja bem os pés;

4. Evite levar excesso de peso na mochila

O peso da carga de uma mochila não deve ser superior a 10% do peso corporal (um adulto com 60 kg não deve carregar mais do que 6 kg) e deve ser distribuído de igual forma, garantindo um bom apoio nas costas.

A forma como são organizados os objetos também é relevante: coloque primeiro os objetos mais pesados, ocupando a parte central da mochila. No caso de longas caminhadas, não se esqueça: leve só o essencial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.