“Existem cinco médicos, mas só dois estão no ativo, porque os restantes três estão de baixa”, explicou João Nicolau à agência Lusa, sublinhando que os “dados oficiais não batem certo com a realidade e, se algum sair, a situação vai agravar-se”.

O socialista alertou que, feitas as contas, o concelho tem cinco médicos de família em falta e, de um total de sete que devia ter, só dois estão ao serviço.

Segundo dados oficiais do portal do Bilhete de Identidade dos Cuidados Primários de Saúde, o concelho possui 12.479 utentes, dos quais 8.398 têm médico de família e 4.076 não têm.

Por os dados oficiais não coincidirem com a realidade, os deputados do PS João Nicolau, Vera Braz, Alexandra Tavares de Moura, Rita Borges Madeira e Paulo Marques entregaram, em 13 de abril, na Assembleia da República uma pergunta dirigida ao Ministério da Saúde.

“Existindo forte carência de médicos de família no Cadaval, levando mesmo a graves constrangimentos nos cuidados primários prestados à população do concelho, qual a estratégia e quais as medidas em curso para suprimir as carências existentes e evitar-se que a situação se deteriore nos próximos meses, como é previsível caso não sejam tomadas medidas urgentes?”, questionaram.

No documento, lembraram que as novas instalações do Centro de Saúde do Cadaval, no distrito de Lisboa, foram inauguradas em março de 2019.

Apesar de dispor de condições, a unidade “vive graves carências de pessoal médico”, motivo pelo qual “o coordenador da unidade se demitiu no início do ano, refletindo a gravidade das dificuldades que estão a afetar a prestação de cuidados de saúde no concelho”, referiram.

Na pergunta, alertaram que o centro de saúde “está próximo do rácio teórico de médicos de família (7), no entanto, este número pode não corresponder à realidade dado que, alegadamente, mais de metade do pessoal médico se encontra de baixa médica”.

Segundo os deputados, existem “relatos de adiamento sucessivo de consultas, incluindo graves carências no acompanhamento de grávidas e crianças”.

Em 29 de abril, a Assembleia Municipal do Cadaval aprovou por unanimidade uma moção, apresentada pelo PS e enviada ao Ministério da Saúde, alertando que “é urgente respostas imediatas”.

Na moção, é demonstrada “preocupação com o estado de saúde devido à falta de médicos”.

Em 04 de maio, o vereador João Reis e a líder da bancada do PS na Assembleia Municipal, Maria João Botelho, reuniram-se com responsáveis da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo a alertar para os problemas e a pedir soluções, é referido numa nota de imprensa.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.