Trata-se de um dos maiores estudos sobre o fenómeno até à data e um dos primeiros a apresentar provas objetivas das lesões cerebrais nos antigos jogadores, indicou Francis Conidi, investigador da Universidade da Florida.

“O rácio de lesões cerebrais traumáticas é significativamente superior nos jogadores comparativamente à população em geral”, apontou Conidi referindo-se aos resultados do estudo, que vai ser formalmente apresentado na próxima sexta-feira, no 68.º encontro anual da Academia Americana de Neurologia em Vancouver (Canadá).

Para o estudo, os investigadores recolheram imagens por ressonância magnética e realizaram exames de memória a 40 ex-jogadores da NFL, com uma média de idades de 36 anos, na sua maioria afastados da prática da modalidade há menos de cinco anos e que jogaram em média sete anos na liga.

As imagens da ressonância magnética mostram que 17 ex-jogadores (43%) apresentavam níveis de danos na substância branca do cérebro, que conecta as distintas regiões cerebrais, muito superiores aos das pessoas sãs da mesma faixa etária, o que é considerado uma prova de lesão cerebral traumática.

Por outro lado, metade dos antigos jogadores tem problemas significativos no desempenho da função executiva, 45% na aprendizagem ou memória e 42% na capacidade de atenção e concentração.

Os investigadores também concluíram que quanto mais tempo um jogador passa na NFL maiores se afiguram as possibilidades de vir a sofrer de uma lesão cerebral traumática.

Este estudo também pode ajudar os cientistas a compreender melhor a encefalopatia traumática crónica associada à demência, depressão e suicídio.

A NFL tem sido fortemente criticada por ter durante um longo período de tempo subestimado o impacto dos choques físicos na saúde dos jogadores.

Essa problemática é o tema do filme recente “Concussion” (“Concussão”) que tem Will Smith como protagonista.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.