O aumento dos resultados líquidos ficou a dever-se sobretudo ao aumento das receitas da área da oncologia, justifica a multinacional farmacêutica anglo-sueca, em comunicado.

O lucro antes de impostos, por sua vez, ascendeu a 6.002 milhões de dólares ate setembro, mais 248% em termos homólogos, enquanto o lucro operacional (ebit) subiu 161% para 6.959 milhões de dólares.

A receita total nos primeiros nove meses do ano fiscal atingiu os 33.787 milhões de dólares, um acréscimo de 1,9% na comparação com idêntico período do ano anterior.

Na nota citada, a AstraZeneca explica ainda que a maior parte dessa receita veio das vendas de medicamentos, num total de 32.466 milhões de dólares.

A farmacêutica sublinha também que o aumento das receitas totais foi possível apesar da queda nas receitas dos medicamentos para a covid-19, com as receitas dos medicamentos oncológicos a aumentarem 20%.

O presidente-executivo da AstraZeneca, Pascal Soriot, afirmou que a empresa continua a sua trajetória de crescimento “sólido” no terceiro trimestre do ano fiscal, com um aumento das receitas totais dos seus medicamentos não relacionados com a covid-19.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.