O projeto "Resistência e promoção de virulência às equinocandinas - desvendar o seu bloqueio nas infeções fúngicas invasivas" foi premiado pelo Grupo de Infeção e Sepsis (GIS) do Hospital de São João, do Porto, segundo um comunicado da faculdade.

Com esta bolsa, os investigadores vão aprofundar os estudos sobre o conhecimento dos mecanismos de resistência das equinocandinas, que "promovem a redução de um componente fundamental da parede fúngica, o glucano".

De acordo com Sofia Costa de Oliveira, investigadora principal do trabalho, "alguns fungos têm a capacidade de compensar essa diminuição produzindo mais quitina, o que torna o tratamento com equinocandinas ineficaz".

Leia também: 22 doenças (muito) misteriosas

"Acreditamos que existe possibilidade de modular esse mecanismo de escape à ação do antifúngico, potenciando deste modo o seu efeito", referiu.

Sofia Costa de Oliveira referiu que, caso consigam descobrir "uma resposta positiva numa melhor utilização dos tratamentos já existentes na infeção fúngica", isso pode traduzir-se em "ganhos para o Serviço Nacional de Saúde, na medida em que não vão ter de investir em investigação de novas moléculas para tratamento destas doenças".

"Os resultados obtidos com este projeto vão fornecer dados valiosos que podem permitir o desenho de novas estratégias terapêuticas para ultrapassar a problemática da resistência ou tolerância às equinocandinas, pelos fungos patogénicos, com implicações na Saúde Pública, Biotecnologia e Agricultura", acrescentou.

Doentes com o sistema imunitário debilitado têm um elevado risco de desenvolver infeção fúngica invasiva, sendo que o número de pessoas que registam esta doença fúngica pode chegar aos 200 mil casos por ano e a mortalidade por candidemia aos 40%, lê-se ainda no comunicado.

O projeto, vencedor da bolsa de Investigação em Micologia Clínica, vai ser desenvolvido por Sofia Costa de Oliveira, Ana Pinto e Silva, Isabel Marco Miranda, Cidália Pina Vaz e Acácio Gonçalves Rodrigues, do Serviço de Microbiologia da FMUP.

Este galardão, que conta com o apoio da farmacêutica Astellas Farma, foi criado para uma melhor resposta na área da micologia e no tratamento dos fungos, especialmente em ambiente hospitalar.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.