"Chegámos a esta fase final devido a uma adesão em massa da comunidade portuguesa, brasileira, de expressão portuguesa, dos angolanos nas cidades vizinhas de Hamilton e de London, de amigos dos angolanos e de canadianos de vários origens étnicas", disse hoje à agência Lusa Rui da Silva, presidente da Comunidade Angolana do Ontário (ACO).

O Hospital Pediátrico David Bernardino, em Luanda, está a atender mais de 500 crianças por dia e a fazer pelo menos 120 internamentos diários e debate-se com a falta de pessoal, sobretudo enfermeiros, mas também de medicamentos, sangue e diverso material.

Rui da Silva sublinhou que está terminada a primeira fase da campanha após a recolha de uma "grande quantidade de material".

"Temos diverso material que vai encher um contentor de 20 pés [sete metros]. Angariamos também a quantia de 1.741 dólares canadianos [1.200 euros], que serão usados em prol da causa. Estamos agora a concluir esta primeira fase de emergência, que culmina com o envio do contentor para Luanda", frisou.

O dirigente associativo espera também não ter despesas em custos alfandegários quando o contentar chegar a Angola dentro de 45 dias.

"Já falámos com o embaixador de Angola no Canadá, Edgar Martins, que nos deu a sua palavra de que fará o possível para que possamos evitar os custos alfandegários quando o contentor chegar a Luanda", disse Rui da Silva.

A Comunidade Angolana do Ontário pretende promover uma segunda fase do plano de angariação de material hospitalar para outro hospital, localizado em Luanda ou no interior de Angola.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.