O anúncio foi hoje feito pela responsável à margem de uma reunião com representantes do Ministério da Saúde de Angola e a comissão do Fundo Global, uma organização financeira internacional apoiada pelas Nações Unidas, com sede em Genebra, Suíça.

Adriana Jimenez, citada pela agência noticiosa angolana, Angop, referiu que este financiamento destina-se à aquisição de medicamentos e produtos de saúde, apoio às supervisões, formação de técnicos e atividades de sensibilização junto das comunidades.

Os 16 sintomas mais comuns do VIH/Sida
Os 16 sintomas mais comuns do VIH/Sida
Ver artigo

O referido financiamento para um período de três anos, salientou a responsável, visa melhorar a saúde da população e reduzir o número de mortes por malária, a principal causa de óbito em Angola, a tuberculose, cuja tendência é de aumento de casos, e HIV/SIDA.

Segundo Adriana Jimenez, o Fundo Global vai continuar a apoiar o Governo angolano, uma vez que "há o compromisso de assegurar as novas inversões do fundo que serão utilizadas para mitigar o impacto negativo da malária, HIV/SIDA e tuberculose".

Já o secretário de Estado para a Saúde Pública, José da Cunha, considerou "muito importante" o encontro, que avaliou como decorrem as três subvenções financiadas pelo Fundo Global e, em colaboração com o Ministério da Saúde, determinar metas a seguir.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.