Em causa está a redução do horário da Consulta Aberta no Centro de Saúde de Ovar e o fecho da da Unidade de Saúde Familiar (USF) Alpha na freguesia de São Vicente Pereira, do polo da USF Laços em Arada e da USF João Semana no Furadouro - lista a que o partido acrescenta ainda a referência a uma unidade em Maceda.

Considerando que o concelho esteve um mês em estado de calamidade devido à "incidência elevada de covid-19", somando atualmente mais de 700 casos de infeção entre cerca de 55.400 habitantes, o BE diz compreender que no período mais intenso de combate à doença "alguns serviços tenham tido o seu funcionamento mais limitado", mas lamenta a perda de valências a que se assistiu entretanto.

"Já não se compreende é que, numa situação em que se começa a retomar a atividade e a recuperar outra que ficou suspensa, haja uma diminuição do funcionamento da Consulta Aberta no Centro de Saúde de Ovar e se mantenha o encerramento de várias extensões de saúde [do concelho]", defende a coordenação distrital do partido.

No caso da Consulta Aberta, o BE critica a redução do horário: o fecho foi antecipado "para as 20:00 durante os dias úteis e para as 13:00 aos sábados, domingos e feriados, quando antes [o serviço] funcionava das 08:00 às 24:00".

No que concerne às unidades de saúde, estão "encerradas as extensões de Arada e Maceda, do Furadouro e de São Vicente Pereira", o que, tendo em conta "a falta de transportes públicos, está a causar enormes transtornos à população e a fazer com que um serviço de saúde que deve ser de proximidade se torne inacessível".

Alertando que nos próximos tempos "pode ser mais intensa a procura e a necessidade da população" face a esses serviços, o BE afirma: "Toda a capacidade instalada deve ser aproveitada ao máximo, o que não acontece se se reduzem horários ou se se mantêm extensões fechadas. Não se pode permitir é que os serviços públicos de saúde se tornem mais distantes ou inacessíveis, principalmente quando é preciso recuperar atividade e manter a vigilância sobre o estado de saúde geral da população, tendo em conta o grande impacto que a covid-19 teve neste concelho".

O partido diz já ter questionado o Ministério da Saúde sobre o assunto, com vista a apurar as razões para a redução de horário na Consulta Aberta e o fecho de outras unidades, e também para determinar qual o prazo previsto para a eventual retoma de um funcionamento mais alargado.

Questionada pela Lusa, a direção do Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Vouga já no final de maio tinha declarado que as extensões de saúde de Arada, Furadouro e São Vicente estavam "encerradas provisoriamente" porque, face às restrições sanitárias motivadas pela pandemia, "nessas unidades não é possível criar circuitos distintos para utentes, profissionais e resíduos hospitalares, nem assegurar condições de segurança em salas de espera e espaços envolventes".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.