A sua filha Lucy Hawking afirmou que o Royal Papworth Hospital de Cambridge proporcionou ao seu pai um apoio médico "brilhante, dedicado e compassivo" até à sua morte, aos 76 anos, a 14 de março de 2018.

Se ainda estivesse vivo "percebemos que ele estaria na linha de frente da pandemia da COVID-19 e entramos em contacto com alguns dos nossos velhos amigos para perguntar se poderíamos ajudar", explicou em comunicado publicado no site do hospital.

Após a morte do físico, afetado desde a juventude por uma doença degenerativa, a família devolveu ao hospital todo o equipamento respiratório que o Serviço Nacional de Saúde (NHS) britânico lhe tinha proporcionado.

Mas Hawking também comprou algumas máquinas, explicou a filha. "Agora estamos a entregá-lo ao NHS com a esperança de que ajudem na luta contra a COVID-19", afirmou, ao mesmo tempo que elogiou o papel "incrivelmente importante" que o Royal Papworth Hospital teve em "momentos realmente difíceis" para o seu pai.

A doação acontece no momento em que o Reino Unido, que se viu gravemente afetado pela pandemia de coronavírus com mais de 17.000 mortes registadas apenas em hospitais, sofre com a falta de equipamentos médicos necessários para enfrentar a crise de saúde.

De acordo com o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, o país tinha entre 9.000 e 10.000 ventiladores no NHS no início de abril e outros 2.000 em clínicas privadas.

Hancock anunciou a chegada de 1.500 máquinas adicionais nas próximas semanas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.