Cidades como Nova Iorque, Tóquio, Londres, Paris e Sydney prometeram "cortar a quantidade de resíduos gerada por cada cidadão em 15% até 2030", anunciou em comunicado a C40 Cities, uma rede global dedicada a combater as alterações climáticas.

10 coisas perigosas que põe no lixo (e não devia)
10 coisas perigosas que põe no lixo (e não devia)
Ver artigo

As cidades comprometeram-se a "reduzir a quantidade de resíduos enviados para aterros e incineração em 50% até 2030". O objetivo da "Declaração de avanço em direção ao lixo zero" é evitar a produção de 87 milhões de toneladas de lixo até 2030.

Proibir o plástico descartável ou não reciclável é uma das medidas previstas.

O lixo tornou-se uma das principais ameaças ao meio ambiente, aumentando mais rapidamente do que qualquer outro poluente.

Lixo como produtor de metano

Não cuida do seu planeta? Estas são as 15 consequências
Não cuida do seu planeta? Estas são as 15 consequências
Ver artigo

Todos os anos 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos desperdiçados são enviados para aterros, onde restos podres produzem metano, um potente gás com efeito de estufa.

Melhorar o desperdício e a gestão de materiais em todo o mundo pode reduzir as emissões globais em 20% e são passos "essenciais" para cumprir as metas do acordo climático de Paris de 2015. O objetivo desse pacto é limitar o aumento da temperatura global.

O anúncio deste novo pacto - C40 Cities - foi divulgado antes da Cimeira Global de Ação Climática, que será realizada em São Francisco em meados de setembro.

Os signatários do acordo da C40 Cities são cidades como Auckland, Copenhaga, Dubai, Londres, Milão, Montreal, Nova Iorque, Newburyport, Paris, Filadélfia, Portland, Roterdão, São José, São Francisco, Santa Monica, Sydney, Tel Aviv, Tóquio, Toronto, Vancouver, Washington DC e as regiões de Navarra e Catalunha.

Homem russo que quis tornar-se no "Popeye" pede para morrer por causa das dores
Homem russo que quis tornar-se no "Popeye" pede para morrer por causa das dores
Ver artigo

Os signatários comprometeram-se a divulgar publicamente o seu progresso a cada dois anos.

As cidades vão incentivar a recolha seletiva de restos de comida que podem ser usados ​​para compostagem e apoiar políticas locais como compras sustentáveis, aumento da consciencialização e uso de reciclagem para materiais de construção e demolição.

"Reduzir drasticamente os resíduos ajudará a travar as emissões de carbono, ao mesmo tempo que nos ajudará a construir uma cidade mais justa, mais limpa e mais habitável para todos", comentou o autarca de Nova Iorque, Bill de Blasio.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.