Para assinalar o Mês do Pulmão, que se celebra durante o mês de abril, especialistas alertam para fatores de risco e sintomas da DPOC, doença crónica e incapacitante, com elevada incidência em Portugal.

A DPOC é uma patologia respiratória comum, crónica e progressiva que vai roubando, a pouco e pouco, a capacidade de respirar. As exacerbações (episódios de agravamento dos sintomas da DPOC) e a presença de comorbilidades (outras doenças como as cardiovasculares, osteoporose, depressão e ansiedade, diabetes e cancro do pulmão) contribuem para o agravamento desta doença respiratória. Um estudo recente realizado em Portugal confirma que esta doença atinge cerca de 15% dos portugueses acima dos 40 anos.

“Caracterizada por falta de ar, tosse e aumento da produção de expetoração, impede as pessoas de realizar tarefas diárias banais como, por exemplo, conduzir ou subir escadas, fazer a cama ou vestir-se. Com a progressão da doença, a falta de ar manifesta-se até durante os períodos de descanso”, explica o Dr. José Reis Ferreira, Pneumologista.

A DPOC está normalmente associada aos hábitos tabágicos, com índices de 20% de probabilidade dos fumadores contraírem esta doença. A DPOC progride com a idade, levando a incapacidade e morte prematura. “Fumar é uma das principais causas da DPOC, a longa exposição a gases nocivos também pode causar a doença. Contudo, mesmo deixando de fumar, o risco de desenvolver a DPOC não desaparece,” alerta o especialista.

A partir dos 40 anos, fumadores e ex-fumadores entram no grupo de risco desta doença, mas muitos ignoram os sintomas e não fazem o rastreio. O diagnóstico precoce de DPOC pode ser feito através da Espirometria, um simples exame de rastreio que cria a oportunidade de se poder atuar no sentido de atrasar a progressão da doença e a deterioração da qualidade de vida dos doentes.

“Muitas vezes o que se verifica é que a maioria das pessoas com DPOC nem sequer sabe que tem a doença e, consequentemente, não recebem o tratamento que as ajuda a manterem-se ativas”, continua. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 600 milhões de pessoas sofrem de DPOC, e destes, cerca de 3 milhões morrem em consequência desta doença todos os anos.

Especialistas alertam para sintomas da DPOC:

- Falta de ar progressiva, persistente e que se agrava com o esforço

- Tosse crónica que pode ser intermitente e não produtiva

- Expetoração frequente;

- História familiar de DPOC.

17 de abril de 2012

@GCI

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.