O total de novos casos registado hoje pelo instituto supera significativamente os 1.254 novos contágios registados no dia anterior e a média diária da semana passada, quando foram detetados cerca de 6.000, numa altura em que a campanha de vacinação atingiu hoje os dois milhões de doses.

“Fico com dores de estômago ao olhar para esses números”, lamentou o ministro da Justiça interino holandês, Fred Grapperhhaus, ao divulgar os números no Conselho de Ministros, confirmando os dados que apontam para um disparo nos casos de contágio, que pode estar a encaminhar o país para uma nova vaga da pandemia.

Cerca de quatro em cada cinco holandeses agora infetados com o novo coronavírus estão contaminados com a variante detetada pela primeira vez no Reino Unido, que aparentemente se espalha mais rapidamente do que as outras variantes conhecidas, o que explica, em parte, o agravamento da situação pela reabertura gradual das escolas nas últimas semanas.

A segunda vaga, que começou no final do verão de 2020, nunca chegou a estar totalmente controlada, embora Haia tenha conseguido reduzir os contágios diários depois de as autoridades holandesas terem declarado um confinamento e encerrado todas as atividades não essenciais em meados de dezembro.

A pandemia está a ser gerida por um governo de gestão, chefiado pelo liberal Mark Rutte, que venceu sem maioria suficiente as eleições legislativas de quarta-feira, vitória que o seu partido interpretou como um apoio dos cidadãos à estratégia oficial de combate à pandemia, apesar das frequentes críticas pela lentidão na imposição de restrições e da campanha de vacinação.

Por outro lado, a agência noticiosa holandesa, ANP, confirmou que os Países Baixos já administraram mais de dois milhões de doses das vacinas para a covid-19, entre a primeira e a segunda inoculação, enquanto o ministro da Saúde também interino, Hugo de Jong, estimou que se irá atingir as três milhões até ao início de abril.

Na próxima semana, o executivo holandês em funções vai anunciar se mantém ou agrava as atuais medidas restritivas, que incluem o encerramento do setor hoteleiro e a aplicação de um recolher obrigatório noturno durante toda a semana, bem como o fecho parcial do comércio.

No entanto, o Governo holandês confirmou hoje aos organizadores de concertos, festivais, competições desportivas e congressos que podem começar a planear os eventos públicos a partir de 01 de julho.

No caso de terem de cancelar as iniciativas devido à necessidade de se manter as restrições, o Governo indicou que pagará um subsídio de cancelamento.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.692.313 mortos no mundo, resultantes de mais de 121,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.