Segundo o balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, o aumento no número de mortes foi de 14%, passando de 2.906 mortes na quarta-feira, para 3.313 ontem. Em relação ao número de infetados, o crescimento foi de 8,2%, de 45.757 para 49.492 casos confirmados.

De acordo com a tutela, a taxa de letalidade da covid-19 subiu ontem para 6,7%.

Questionado acerca do número recorde atingido ontem pelo país sul-americano, o novo ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou, em conferência de imprensa, ainda não saber se é resultado de “um esforço de fechar os diagnósticos ou uma linha de tendência de aumento”.

São Paulo continua a liderar a lista dos estados brasileiros com o maior número de casos, concentrando 1.345 mortos e 16.740 casos de infeção, seguindo-se o Rio de Janeiro, com 530 vítimas mortais e 6.172 casos confirmados da covid-19.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 186 mil mortos e infetou mais de 2,6 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 708 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.