As "estruturas de natureza extraordinária e temporariamente criadas para a prestação de cuidados de saúde no âmbito da resposta à covid-19 ficam isentas do pagamento das taxas de registo previstas pelo sistema de registo de estabelecimentos regulados da Entidade Reguladora de Saúde", disse António Lacerda Sales durante a conferência de imprensa diária para atualização de informação sobre a pandemia de covid-19 em Portugal.

Segundo o governante, "a isenção vigora até ao final de 2021" e a decisão foi tomada através de uma portaria conjunta dos ministérios da Saúde e das Finanças para enaltecer e incentivar o "esforço coletivo" na luta contra a pandemia de covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

"O esforço na luta contra a covid-19 tem mobilizado diversos agentes sociais", como autarquias, instituições particulares de solidariedade social, sociedade civil e empresas, disse António Lacerda Sales.

De acordo com o secretário de Estado, "são exemplo dessa mobilização a abertura de pavilhões e outras estruturas com a finalidade de acolher, se necessário, pessoas com covid-19 que não disponham de condições para cumprir o isolamento no domicílio e ainda a instalação de postos de colheita de material biológico para diagnóstico da infeção".

"Este esforço coletivo deve ser enaltecido e incentivado" e, por isso, o Governo" decidiu isentar aquelas estruturas do pagamento das taxas de registo, frisou.

Portugal regista 1.289 mortos associados à covid-19 em 30.200 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia hoje divulgado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.