O alargamento da quarentena decretada afeta quase 12 milhões de moradores da cidade de Taizhou, Hangzhou e Ningbo, todas na província de Zhejiangen, leste da China.

Uma das cidades fica a apenas 175 km da metrópole de Xangai, a cidade mais populosa do país.

As autoridades de Zhejiangen permitem que apenas uma pessoa por casa saia a cada dois dias para comprar produtos de primeira necessidade.

Até agora, mais de 56 milhões de pessoas estavam confinadas na província de Hubei. O novo coronavírus surgiu na cidade de Wuhan, capital da província.

Ao mesmo tempo, Hong Kong comunicou esta terça-feira a morte de um homem de 39 anos que viajou em dezembro a Wuhan. Esta é a segunda morte registado foram do território continental chinês.

Hong Kong adotou medidas extremas para impedir o contágio e deixou abertas apenas duas pontes da passagem terrestre com a China continental, onde o coronavírus já infetou 20.400 pessoas.

O número de vítimas fatais na China continental é superior às provocadas há quase duas décadas pela Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS). O novo coronavírus, no entanto, tem uma taxa de mortalidade menor.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), que declarou na semana passada estado de emergência mundial, afirmou nesta terça-feira que a epidemia de pneumonia viral ainda não constitui uma "pandemia".

"Atualmente, não estamos numa situação de pandemia", termo que se aplica a uma situação de propagação mundial de uma doença, declarou à imprensa Sylvie Briand, diretora do departamento de Preparação Mundial para Riscos Infecciosos da OMS.

"Estamos em fase de epidemia com múltiplos focos", disse.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.