O maior hospital privado do país está praticamente às moscas apesar de haver um parecer da Administração de Saúde do Norte a garantir que o Estado pouparia mais de dois milhões de euros por ano se garantisse uma parceria com este privado.

O Hospital Senhor do Bonfim foi inaugurado por Pedro Passos Coelho no final de 2014. O complexo envolveu um investimento de 100 milhões de euros. Apesar desta unidade ter tecnologia de ponta em exames de diagnóstico, não chega às populações do norte do país.

É a maior unidade privada de saúde em Portugal, com mais de 550 camas, contando atualmente com cerca de 350 trabalhadores que se encontram com dois meses de salários em atraso, segundo o BE.

O partido refere que “em reunião com os trabalhadores, a 15 de março, Manuel Agonia - membro histórico do PSD, candidato à Câmara da Póvoa do Varzim em 1993, e fundador desta unidade hospitalar - terá afirmado que não tem dinheiro para pagar os salários nem sabe quando irá ter”.

As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos
As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos
Ver artigo

“Esta situação é inaceitável e carece de intervenção urgente, designadamente por parte da Autoridade para as Condições do Trabalho”, defende o BE.

O Bloco questiona o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social sobre se tem conhecimento desta situação e se se verificaram “falhas no dever de entrega dos descontos dos trabalhadores à Segurança Social e às Finanças”.

“A Autoridade para as Condições do Trabalho realizou anteriormente ações inspetivas no Hospital Senhor do Bonfim? Em caso de resposta afirmativa, qual o resultado dessas ações?”, questiona.

Que medidas vai o Governo encetar?

Considerando “a gravidade das denúncias”, o BE quer saber “que medidas pretende encetar o Governo com vista a instar a Autoridade para as Condições do Trabalho para a realização de uma ação inspetiva urgente no Hospital Senhor do Bonfim”.

Acrescenta que, na reunião de 15 de março com os trabalhadores, “Manuel Agonia terá responsabilizado o Estado pelo não pagamento de salários”, frisando que o projeto do Hospital do Bonfim “é uma iniciativa privada e deve ser tratada como tal”, já que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) “não pode ser chamado a salvar projetos privados nem iniciativas megalómanas que se revelam ruinosas”.

Ao Ministério da Saúde, o BE pergunta se “existem protocolos entre o Serviço Nacional de Saúde e o Hospital Senhor do Bonfim”. Em caso de resposta afirmativa, questiona, “quais as áreas em causa? Quanto custaram ao erário público estes protocolos?”

“Que medidas estão a ser desenvolvidas pelo Estado para garantir o devido investimento no Centro Hospitalar de Vila do Conde – Póvoa de modo a que este possa assegurar os serviços necessários à população?” e “quando se prevê que sejam iniciadas as obras de requalificação do Centro Hospitalar de Vila do Conde-Póvoa?”, são outras questões que o BE quer ver esclarecidas.

A inauguração do Hospital Senhor do Bonfim, no final de 2014, contou com a presença do então primeiro-ministro Pedro Passos Coelho e do então ministro da Saúde, Paulo Macedo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.