"A unidade de saúde da Praça da República tem estado a funcionar com limitações: as consultas programadas estão a ser reagendadas e as pessoas com situações clínicas agudas estão a ser atendidas na unidade, podendo, após avaliação, ser encaminhadas para outras unidades do SNS existentes na cidade", esclarece a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).

Em resposta à agência Lusa, a ARSLVT salienta ainda a preocupação em "minorar o máximo possível os incómodos vivenciados pelos utentes", adiantando que, neste momento, já está em curso uma intervenção de uma empresa especializada para resolver os problemas detetados.

Embora sem se comprometer com um prazo, a ARSVT estima que o normal funcionamento da Unidade de Saúde da Praça da República possa ser restabelecido a muito curto prazo.

A USCP da Praça da República, em Setúbal, instalada no piso térreo do edifício do Centro Distrital de Segurança Social de Setúbal, já foi objeto de outras intervenções devido a infiltrações.

Em abril do ano passado, a Câmara Municipal de Setúbal aprovou um protocolo de cooperação com a ARSLVT para a construção de três unidades de saúde no concelho até 2021, uma das quais a ser construída junto à Praceta Maria Lamas, para complementar a unidade de saúde da Praça da República, que deverá continuar em atividade.

As outras duas novas unidades de saúde deverão ser construídas na Praça de Portugal, na cidade de Setúbal, e junto às piscinas de Azeitão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.