A informação foi dada pelo diretor nacional de Saúde Pública e Controlo de Endemias, Miguel Oliveira, na cerimónia de lançamento da campanha nacional de distribuição de mosquiteiros, em oito dos 14 municípios da província da Huíla.

Miguel Oliveira disse que a distribuição de mosquiteiros é urgente, numa altura em que os números da doença continuam a subir e com ele, os de morte, igualmente o absentismo escolar e laboral em crianças menores de cinco anos, em adultos e mulheres grávidas.

O responsável referiu que com a distribuição pretende-se garantir um mosquiteiro para cada duas pessoas, salientando que em 2015, foram distribuídos cinco milhões de mosquiteiros nas províncias do Bengo, Malange, Lunda Norte, Namibe e Cabinda.

Leia também: Os 12 vírus mais perigosos do mundo

Além da Huíla, a distribuição vai abranger a província do Uíge, disse Miguel Oliveira, frisando que a malária constitui um dos principais problemas de saúde pública.

"A campanha nacional de distribuição de mosquiteiros tratados com inseticida de longa duração é uma das medidas preventivas sustentáveis, logo, a malária tem não só o impacto negativo sobre a saúde das populações como também no desenvolvimento social e traz maior impacto de pobreza à população", realçou o responsável, citado pela agência noticiosa angolana, Angop.

Angola enfrentou nos primeiros meses deste ano um surto de malária, justificado pelo intenso período de chuvas, iniciado em finais de 2015, que o país recebeu, tendo registado no primeiro trimestre 850 mortos, em cerca de 400 mil casos notificados.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.