No orçamento previsto para a empreitada, 1,2 milhões de euros, não está ainda incluído o valor da instalação dos equipamentos necessários, que vai ainda ser “contabilizado” pela administração, explicou hoje à agência Lusa Luís Matias, presidente da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), da qual faz parte o HLA.

Segundo o mesmo responsável, está também prevista uma “segunda fase” de intervenção para a “reestruturação” do atual Serviço de Urgência, obra que “não está ainda consignada”.

10 doenças que podem ser transmitidas por um aperto de mãos
10 doenças que podem ser transmitidas por um aperto de mãos
Ver artigo

A obra de ampliação atualmente em curso pretende resolver o congestionamento do Serviço de Urgência, destacou Luís Matias, considerando a intervenção “muito necessária”.

“Temos uma urgência mesmo muito congestionada, temos uma população dispersa e bastante idosa, temos necessidade de ampliar e de criar dignidade na urgência, com espaços melhores”, afirmou o responsável da ULSLA, reconhecendo que, “neste momento, muitos utentes têm de aguardar em corredores”, mas garantindo que “isso vai deixar de acontecer”.

Mais salas e áreas de observação

Nesse sentido, exemplificou, vão ser criadas salas e áreas de observação com capacidade para nove macas, dez camas e mais de 40 cadeirões “para utentes que têm de aguardar algum tempo enquanto são monitorizados”.

Com a ampliação dos serviços, vai ser também necessário o reforço da equipa de enfermagem, com “mais um ou dois” profissionais por turno, indicou o administrador.

A intervenção é ambicionada há mais de dez anos por utentes e autarcas, tendo em outubro de 2015 sido lançado o concurso público para a empreitada, embora a obra apenas tenha avançado no início deste ano.

“São boas notícias”, disse à agência Lusa o porta-voz da Comissão de Utentes de Santiago do Cacém, Dinis Silva, satisfeito com o arranque das obras, aproveitando para lembrar que esta “é uma reivindicação” com “mais de dez anos” que vai permitir “melhores condições de atendimento e de trabalho”.

Além deste investimento, a ULSLA tem outros projetos em curso ou já aprovados para avançar este ano, adiantou o administrador, referindo estar prevista a deslocação dentro do HLA das instalações da farmácia hospitalar.

Este mês, devem ficar concluídos outros investimentos na melhoria de instalações geridas pela ULSLA, como as obras de adaptação de duas antigas escolas primárias para acolher as Extensões de Saúde do Torrão, no concelho de Alcácer do Sal, e de Alvalade, no concelho de Santiago do Cacém.

Em projeto está também a construção do novo Centro de Saúde de Santiago do Cacém, uma obra que também tem feito parte das reivindicações de utentes e autarcas.

“Estamos a iniciar os primeiros contactos para criar um novo Centro de Saúde em Santiago do Cacém”, afirmou Luís Matias, adiantando que o edifício deverá ser construído num terreno cedido pelo município.

O HLA foi inaugurado em 2004, tendo em 2012 sido criada a ULSLA, que passou a integrar a unidade hospitalar e os cinco centros de saúde do litoral alentejano, em Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines, no distrito de Setúbal, e Odemira, no distrito de Beja, que abrangem uma população de cerca de 97 mil habitantes.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.